Imagem ilustrativa da imagem CRUZEIRO 2X3 ATLÉTICO-MG<br> Nocaute no Mineirão




O Atlético-MG contou com um show de Carlos, autor de dois gols, para vencer o Cruzeiro por 3 a 2 no Mineirão. Diego Tardelli ainda deixou a sua marca no clássico, que acabou com a invencibilidade da Raposa no local, onde não perdia desde dezembro do ano passado.
Quem viu a escalação do visitante pensou que Levir Culpimontaria uma equipe para agredir o rival. O que se viu, porém, foram os comandados de Marcelo Oliveira atacando com mais constância e intensidade. Não à toa, no primeiro minuto de jogo, Alisson acertou o travessão de Victor.
A blitz do Cruzeiro, que contou também com conclusões de longa distância de Lucas Silva, foi interrompida somente quando o adversário abriu o placar. Carlos aproveitou passe de Luan e balançou a meta de Fábio com um forte chute. Um minuto depois Tardelli arrancou em contragolpe e ampliou.
Apesar da inferioridade no marcador, a Raposa seguiu pressionando. Éverton Ribeiro se aproveitou das limitações técnicas de Émerson Conceição e rolou a bola para Ricardo Goulart diminuir.
Com o ritmo intenso, o empate cruzeirense foi questão de tempo. Após novo erro do lateral-esquerdo do Galo, que afastou cruzamento para o meio da área, Alisson acertou um voleio no ângulo de Victor.
Atordoado com a igualdade, o Atlético se desorganizou defensivamente, e as chegadas do mandante tornaram-se mais constantes.
Levir Culpi colocou Josué na vaga de Luan e reforçou a marcação no meio, mudança crucial para a melhoria defensiva do visitante. O Cruzeiro, por sua vez, seguiu trocando passes, insistindo em tabelas.
Mas, nos minutos finais, brilhou a estrela do jovem Carlos. O atacante de 19 anos, que vem se destacando no Galo, marcou novamente, quebrando a invencibilidade do líder do Brasileiro.

Imagem ilustrativa da imagem CRUZEIRO 2X3 ATLÉTICO-MG<br> Nocaute no Mineirão

Confusões e torcedores baleados



Antes da partida, a polícia teve dificuldades para controlar as brigas entre atleticanos e cruzeirenses. No centro de Belo Horizonte, quatro torcedores do Atlético-MG foram baleados por rivais em um ponto de ônibus. Todos foram levados para o hospital, sem perigo de morte. Nos arredores do Mineirão, a dificuldade de acesso das torcidas organizadas gerou encontros de facções e princípios de brigas.
Além disso, dois atleticanos em uma moto foram alvo de garrafas e pedaços de vidro arremessados por rivais. Alguns policiais inicialmente só assistiram à cena e depois tiveram dificuldades para conter os agressores.