Coxa ainda sente efeitos da longa viagem à Bahia Marcos Freitas De Curitiba O Coritiba ainda sente os estragos da cansativa viagem que fez para Vitória da Conquista, no interior baiano, onde venceu na quarta-feira o Poções por 5 a 1, pela Copa do Brasil. Os jogadores, que viajaram mais de 1.300 quilômetros até o sudeste da Bahia, chegaram na quinta-feira à noite a Curitiba e ontem voltaram aos treinos pensando no Malutrom, seu adversário de amanhã, às 17h30, no Pinheirão. Sem poder pensar em folga, ontem pela manhã os jogadores voltaram aos trabalhos fazendo hidroginástica em uma academia. À tarde, o trabalho foi com bola no Alto da Glória, onde o técnico Lori Sandri definiu a equipe. O time só terá uma alteração em relação ao que se classificou para a próxima fase da Copa do Brasil. O lateral-esquerdo Marcinho volta no lugar de Leandro Silva, que está com torcicolo e foi vetado pelo departamento médico. Outro jogador que não obteve o sim do DM coritibano foi o capitão João Santos. Para o técnico Lori Sandri, a manutenção do esquema com três zagueiros não deixa o time sem ofensividade. ‘‘Pelo contrário, com a zaga mais protegida os laterais podem ter mais liberdade e ajudar muito no ataque’’, disse. E o ataque é mesmo um dos setores no Coritiba que mais vem tendo resultados positivos. Desde que Lori chegou no Coritiba, foram três partidas com três vitórias e 14 gols marcados (2 a 1 contra o Monterrey, do México, 9 a 0 contra o Francisco Beltrão e 5 a 1 contra o Poções). ‘‘É uma boa fase que o grupo todo está atravessando’’, diz o atacante Cléber.