Agência Estado
De São Paulo
Os corintianos que compareceram para assistir à partida de ontem entre Real Madrid e Raja Casablanca, na preliminar de Corinthians e Al-Nasser, tiveram uma missão ‘‘ingrata’’. Torcer para o Raja que tem o verde como cor principal. ‘‘A última vez que precisamos fazer isso foi em 1988’’, lembrou Gustavo Fillipini, de 82 anos. Ele se referiu ao jogo do Paulistão no qual os corintianos torceram para o Palmeiras contra o São Paulo. A vitória palmeirense (1 a 0) eliminou o Tricolor e colocou o Timão na final com o Guarani.
Os cinco torcedores enfrentaram as ameaças, mas continuaram vestindo camisetas verdes, que estavam enroladas na cintura para não serem detectadas pela Polícia Militar. Uma camisa do Goiás e outra do Guarani tiveram retirados os distintivos e foram colocadas do avesso. ‘‘O importante é a vaga para a final; depois vamos lavar o corpo com ácido e queimar as camisas’’, brincou Antonio Fillipini, de 17 anos.