São Paulo, 04 (AE) - Sem férias após 85 jogos disputados em 1999. Este é um fator negativo para a estréia do Corinthians no Mundial de Clubes, amanhã, às 21h15, contra o Raja Casablanca, de Marrocos, no Morumbi? Nem tanto. O técnico Oswaldo de Oliveira e os jogadores confiam exatamente nesta base formada há duas temporadas para transformar o bicampeão brasileiro e campeão paulista em favorito para a conquista do título.
"Existe um desgaste, o time está na virada do fio, o tempo de recuperação entre um jogo e outro é curto, mas o nosso entrosamento será fundamental para conseguirmos sucesso", disse Oswaldo, que precisou alterar sua programação de treinamentos. "Todos os trabalhos estão sendo feitos com muito cuidado, pois as lesões podem ocorrer a qualquer momento."
Os jogadores também demonstram motivação. "Não é hora de falar em férias", disse o capitão Rincón. "Trata-se de um Mundial, não é um campeonato qualquer", afirmou Luizão. "É hora de colocar o nome na história do clube e do futebol", disse Marcelinho Carioca, que hoje foi poupado do treinamento coletivo.
Dúvidas - Marcelinho sofreu uma pancada no treino de segunda-feira na panturrilha esquerda, mas segundo o médico Joaquim Grava sua situação não preocupa. O grande problema para o técnico Oswaldo de Oliveira foi a contusão do meia Ricardinho. O jogador sofreu uma pancada na canela direita e deixou o gramado bastante nervoso, sem dar entrevistas. "Vamos aguardar 24 horas; se o local inchar muito, vai ficar difícil", disse Grava. Caso Ricardinho não jogue, Edu deve ficar com a vaga.
Ingressos - Hoje, terminaram os ingressos para a partida de amanhã que estavam destinados para o Parque São Jorge, 30% dos 59 mil. Os bilhetes que restaram só poderão ser comprados no Morumbi. No Parque São Jorge e Pacaembu continurão a ser vendidos as entradas para as segunda e terceira rodadas.
Desconhecimento - O time do Corinthians começou a conhecer o time do Raja Casablanca ontem à noite, quando assistiram ao teipe da partida do time marroquino contra o Vasco. Os cariocas venceram o amistoso por 4 a 1. O auxiliar técnico Édson Barbosa, que esteve no Rio assistindo ao jogo, fez uma análise do time africano. "Eles possuem um volante que centraliza todo o jogo e é o responsável por toda a armação das jogadas", disse. "Mas não são muito fortes no ataque; o destaque está na marcação de meio-de-campo."
Segundo Édson, este fator garantiu ao Raja Casablanca o título da Copa da áfrica e o da defesa menos vazada da competição: dois gols em oito jogos.
Premiação - Os jogadores corintianos deverão receber R$ 100 mil pela conquista do título mundial. A diretoria não confirma este valor. Caso o Corinthians torne-se campeão, o clube vai receber US$ 6,5 milhões. Se não chegar entre os quatro primeiros colocados, ficará com US$ 2,5 milhões, após as três partidas da primeira fase. Corinthians: Dida; Índio, Fábio Luciano (Adílson), João Carlos e Kléber; Vampeta, Rincón, Marcelinho e Ricardinho (Edu); Edílson e Luizão. Técnico: Oswaldo Oliveira. Juiz - Stefano Braschi (Itália). Local - Morumbi. Bandeirantes e Globosat/SporTV (21h15)