|
  • Bitcoin 151.008
  • Dólar 5,0617
  • Euro 5,2708
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 15/03/2022, 14:29

Contra trauma de lesões, Ceni mantém São Paulo sem titulares absolutos

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 15 de março de 2022

BRUNNO CARVALHO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A classificação antecipada para o mata-mata do Campeonato Paulista fez com que o elenco do São Paulo fosse alvo de elogios de Rogério Ceni. Depois da vitória por 3 a 0 sobre o Mirassol, o treinador citou o fato de a equipe ter conseguido apresentar um futebol de nível semelhante mesmo com o rodízio promovido desde o início da competição para evitar um surto de lesão como o do ano passado.

Rogério Ceni utilizou 29 atletas nos 11 jogos feitos no Campeonato Paulista até aqui. Com tantas trocas e um desempenho semelhante de reservas e titulares, quase metade do time do São Paulo ainda permanece sem um dono absoluto de cada posição.

Com esse elenco rotativo, o clube tricolor terá seu próximo compromisso nesta quarta-feira (16), contra o Manaus, no Morumbi, às 21h30 (de Brasília), pela segunda fase da Copa do Brasil. Depois de colocar em campo diante do Mirassol um time bastante modificado, a tendência é que Rogério Ceni volte com a escalação que considera próxima ao ideal -os lesionados Gabriel Sara, Diego Costa e Alisson ainda são dúvidas.

O São Paulo fecha a semana diante do Botafogo-SP, também no Morumbi, no sábado (19), às 16h (de Brasília). Já classificada e com a primeira colocação do Grupo B do Campeonato Paulista garantida, a equipe cumprirá tabela e permitirá que Rogério Ceni dê mais minutos ao elenco.

As exceções ao rodízio promovido por Ceni são o goleiro Jandrei, que voltou mesmo depois de dois jogos sem sustos de Tiago Volpi, os zagueiros Arboleda e Diego Costa, os meias Rodrigo Nestor e Gabriel Sara, considerados peças fundamentais do setor, e o atacante Jonathan Calleri.

Nas laterais, Rafinha e Reinaldo têm status de titulares, mas as características ofensivas de ambos impedem uma utilização constante. Rogério Ceni afirmou mais de uma vez que a dupla dificilmente conseguirá jogar junta desde o início das partidas. O ideal, na visão dele, é um lateral mais ofensivo e outro com mais condição física. Por causa disso, Léo tem tido chances constantes com o treinador.

O jogador de 26 anos pode jogar tanto como zagueiro quanto lateral, e Rogério Ceni tem explorado essa versatilidade. Ele fez seis jogos como titular na competição, sendo três em cada posição. Quando o treinador entende que é necessário mais ofensividade pelo lado esquerdo, tem sido comum Léo ser levado para a zaga e Reinaldo entrar no time.

A prova do rodízio nas laterais são os números. Léo soma 635 minutos em campo no Paulistão, contra 622 de Rafinha e 658 de Reinaldo. Pelo lado direito, Moreira tem aproveitado o espaço deixado por Igor Vinícius, que ainda se recupera de uma lesão muscular. O jovem já acumula 199 minutos, contra 257 de seu concorrente para a reserva de Rafinha.

Se as laterais são concorridas, a zaga parece ter seus dois titulares. Arboleda raramente tem sido poupado, enquanto Diego Costa se firmou como seu parceiro e desbancou o experiente Miranda.

No meio de campo, a disputa envolve muitos nomes para poucas vagas. Pablo Maia se firmou na função de primeiro volante e atuou em oito partidas. Seu único concorrente, Luan, ainda tenta adquirir a forma física ideal para ser utilizado por Ceni. Ele não atua desde outubro do ano passado, quando sofreu uma lesão muscular.

Como Rogério Ceni tem utilizado um sistema 4-1-3-2, restam três vagas no meio de campo, preenchidas muitas vezes por Igor Gomes, Rodrigo Nestor e Gabriel Sara. Os dois últimos são os jogadores com mais minutos no Paulistão e considerados peças fundamentais para a estrutura do São Paulo. Sara atuou por 869 minutos e ficou fora do jogo contra o Mirassol por causa de uma entorse no tornozelo direito. Já Nestor tem 773 minutos em campo e se firmou desde que passou a atuar mais avançado com a entrada de Pablo Maia.

A disputa de Igor Gomes é concorrida. O meia luta para se manter como titular ao passado que os reforços Alisson e Patrick voltam de lesões e o jovem Marquinhos vem ganhando espaço como opção de velocidade pelos lados. Rogério Ceni ainda tem no elenco Andrés Colorado e Gabriel Neves, que poderiam entrar no time caso houvesse uma mudança de esquema tático.

No ataque, Rogério Ceni finalmente tem suas quatro principais opções à disposição. Luciano está em fase final de aprimoramento físico e começou a partida contra o Mirassol. No setor, Jonathan Calleri é quem mais aparenta ter status de titular, enquanto Eder, Rigoni e Luciano disputam a outra vaga.

O argentino atuou em 10 das 11 partidas. O rodízio de Ceni, contudo, fez com que quatro jogos de Calleri fossem vindos do banco de reservas. Atualmente, seu parceiro de ataque é Eder. O veterano começou a temporada fora dos planos do São Paulo, mas tem se firmado, principalmente por causa da ausência de Luciano e a má fase de Rigoni.

Eder foi titular em cinco dos 10 jogos em que participou no Paulistão, com um gol feito e uma assistência dada. Rigoni atuou em nove partidas, mas seu primeiro gol saiu apenas na última rodada, diante do Mirassol.

Estádio: Morumbi, em São Paulo

Horário: 21h30 (de Brasília) desta quarta (16)

Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS)