|
  • Bitcoin 105.148
  • Dólar 5,2019
  • Euro 5,4318
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 11/06/2022, 21:16

Com um a mais, Atlético-GO aproveita 'apagão', bate o Fluminense e deixa Z4

PUBLICAÇÃO
sábado, 11 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Atlético-GO mostrou eficiência ao se aproveitar da expulsão de David Braz, ainda no início do jogo, e garantiu uma valiosa vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, na noite deste sábado (11). Os gols foram marcados por Jefferson e Wellington Rato.

O resultado, pela 12ª rodada do Brasileirão, tira o Dragão do Z4 e leva o time ao 14º lugar, com 13 pontos. O Tricolor Carioca tem 14, e permanece no oitavo lugar.

O Flu volta a campo na próxima quarta-feira (15), às 21h30 (horário de Brasília), quando visita o América-MG. Já o Atlético joga na quinta (16), às 18h, diante do Palmeiras, no Allianz Parque.

FOI BEM: WELLINGTON RATO

O camisa 7 do Atlético-GO já dava trabalho para a defesa carioca antes mesmo da expulsão de David Braz. Em vantagem numérica, a situação melhorou para Wellington Rato, que se fortaleceu com o espaço ganhado em campo. O atacante mandou uma bola na trave, e, minutos depois, marcou o segundo gol do Dragão, que ofereceu a tranquilidade necessária para os visitantes administrarem a vitória fora de casa.

FOI MAL: DAVID BRAZ

A decisão de David Braz, que quase igualava Churín na corrida mas optou por derrubá-lo na entrada da área, foi determinante para o resultado do jogo. Primeiro, ao oferecer o espaço para o atacante adversário, e depois, pela escolha que lhe causou a expulsão, o zagueiro cometeu a falha que impediu o Tricolor Carioca de encostar entre os quatro primeiros colocados do Brasileirão. Pelo lance, que não condiz com sua experiência, o camisa 44 praticamente definiu o revés em casa.

APAGÃO NO FLU

Condicionado pela expulsão de David Braz, aos 20 minutos, quando o jogo ainda apresentava equilíbrio, o Flu até tentou se fechar, mas sofreu um apagão e viu o Atlético assustar em consecutivas oportunidades. Duas delas foram convertidas, e os donos da casa tentaram a reação, mas sem sucesso. Na etapa final, faltou espaço aos donos da casa, que ocuparam o campo de ataque, mas só conseguiram levar perigo à meta de Ronaldo nos minutos finais, com John Kennedy, duas vezes, e Luiz Henrique, que parou no travessão.

ATLÉTICO-GO ADMINISTRA VITÓRIA

O Atlético-GO voltará para casa com a sensação de dever cumprido. Logo após a expulsão de David Braz, o time de Jorginho se aproveitou do momento favorável, foi para cima e abriu a vitória por 2 a 0 ainda na primeira etapa. Com a vantagem no placar e no número de jogadores, o Dragão ofereceu pouco espaço para os avanços dos comandados de Fernando Diniz, administrando o resultado no segundo tempo. Apesar da pressão adversária, o time de Jorginho encerrou o confronto sem ser vazado.

CRONOLOGIA DO JOGO

O Atlético Goianiense abriu o placar com um golaço de Jefferson, aos 34 minutos do primeiro tempo, e ampliou o placar com Wellington, aos 46. David Braz, do Fluminense, foi expulso no 20º minuto de jogo.

NÃO FEZ O L

Quando o jogo ainda estava empatado e ambos os times tinham seus 11 jogadores em campo, Germán Cano teve uma oportunidade claríssima para marcar. Após boa jogada de Luiz Henrique pela direita, aos 15 minutos, o argentino recebeu na cara do gol, mas se atrapalhou e finalizou muito mal, mandando para fora.

VANTAGEM FAZ DRAGÃO CRESCER

Em um contra-ataque do Dragão, Churín avançou com espaço pela direita, e, na entrada da área, foi derrubado por David Braz. Por se tratar de uma chance clara de gol, o zagueiro foi expulso com cartão vermelho direto. Até então o confronto era equilibrado, mas a vantagem numérica fez o Dragão crescer no jogo, e assustar com Wellington Rato, na trave, e Jorginho, que parou em Fábio.

GOLAÇO E SEGUNDO GOL

Com um a mais, o Atlético-GO pressionou o Fluminense e foi à rede com um golaço, aos 34 minutos. Churín foi acionado pela entrada da área, mas Manoel cortou. Na sobra, Jefferson matou no peito, e, sem deixar a bola cair, arriscou pela meia esquerda e acertou um lindo chute para abrir o placar. Um minuto antes do intervalo, Marlon Freitas deu ótimo passe para Wellington Rato, que recebeu na grande área e tocou na saída de Fábio para ampliar o placar.

FLU VAI PARA CIMA

Nos 15 minutos finais, quando o Flu não conseguia superar o ferrolho do Dragão, Fernando Diniz tirou Manoel e Cano para colocar Alexandre Jesus e John Kennedy, mandando o Tricolor Carioca para frente, a fim de sair do confronto ao menos com o empate.

GANSO FAZ FALTA

Sem a presença de Ganso, suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido diante do Galo, Fernando Diniz poderia escalar Nathan, que retornava de lesão, mas não o fez. Ao campo, o técnico levou quatro jogadores originalmente de ataque: Arias, Luiz Henrique, Willian Bigode e Germán Cano. Na prática, o time sentiu a ausência do camisa 10, que poderia reter a posse de bola e ajudar o time nos contra-ataques, sobretudo após ficar com um jogador a menos.

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Marcelo Van Gasse (SP)

VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)

Cartões amarelos: Samuel Xavier (FLU), Arias (FLU) e André (FLU); Hayner (ACG) e Baralhas (ACG)

Cartões vermelhos: David Braz (FLU)

Gols: Jefferson (ACG) e Wellington Rato (ACG), aos 34 e 46 minutos do 1º tempo

FLUMINENSE: Fábio; Samuel Xavier; Manoel (Alexandre Jesus), David Braz e Cris Silva (Caio Paulista); Wellington (Nathan), André e Arias; Willian Bigode (Felipe Melo), Luiz Henrique e Cano (John Kennedy). Técnico: Fernando Diniz

ATLÉTICO-GO: Ronaldo; Hayner (Edson Fernando), Edson Felipe, Ramon e Jefferson; Marlon Freitas, Gabriel Baralhas (Shaylon) e Jorginho (Rickson); Shaylon, Wellington Rato, Churín e Luiz Fernando (Léo Pereira). Técnico: Jorginho