|
  • Bitcoin 102.310
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 16/06/2022, 18:52

Com presença de Ronaldo, Cruzeiro bate a Ponte e segue isolado na liderança

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 16 de junho de 2022

LOHANNA LIMA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - A Ponte Preta até que ensaiou dificultar as ações do Cruzeiro com uma marcação bem forte, nesta quinta-feira (16), no Mineirão, pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, mas a fase do clube mineiro segue iluminada. A equipe celeste fez valer a sua força em casa e derrotou o time de Campinas por 2 a 0, com gols de Edu e Matheus Bidu para mais de 50 mil torcedores que acompanharam a partida no Gigante da Pampulha.

O jogo ainda contou com outro espectador importante: Ronaldo Nazário assistiu à partida de um dos camarotes do Gigante da Pampulha. O Fenômeno ficará no Brasil até o fim do mês e terá uma série de compromissos pelo Cruzeiro neste período.

Além de Ronaldo, uma outra presença chamou a atenção nos camarotes do Mineirão. Ronald, filho do Fenômeno, acompanhou o pai pela primeira vez em um jogo do Cruzeiro desde a compra da SAF.

Com a vitória, o Cruzeiro chegou a 31 pontos e segue isolado na liderança da Série B do Brasileiro. Já a Ponte acumulou a segunda derrota consecutiva e permanece entre os quatro últimos na tabela de classificação.

O Cruzeiro volta a campo na próxima quinta-feira (23), contra o Fluminense, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, às 19h (de Brasília), no Maracanã. Já a Ponte Preta enfrenta o Sampaio Corrêa, no mesmo dia, no Moisés Lucarelli, às 21h30, pela 14ª rodada da série B.

Não é o que o técnico Paulo Pezzolano mais gosta, mas o Cruzeiro teve que apostar na bola longa para tentar furar o forte bloqueio da Ponte Preta. A equipe do interior paulista apostou na marcação alta em boa parte do primeiro tempo, dificultando a saída pelo chão. Assim, o Cruzeiro começou a apostar nos lançamentos e deu certo, já que a equipe abriu o placar em uma jogada que se originou de um passe longo. O time mineiro entrou no jogo de vez e deu poucas chances ao adversário.

A Ponte Preta foi ao Mineirão para tentar anular a principal estratégia do Cruzeiro: o jogo rápido de pé em pé. Muito efetivo, o clube se antecipava aos defensores celestes que tentavam, em vão, construir as jogadas pelo chão. No entanto, a Ponte Preta só conseguiu manter a estratégia na primeira etapa, não conseguiu encaixar muitas jogadas de araque e teve que baixar as linhas no decorrer da partida.

Com a Ponte Preta muito bem defensivamente, o jogo ficou equilibrado durante boa parte do primeiro tempo. Prova disso é que as chances mais claras de gols começaram após os 30 minutos. Aos 34, Edu finalizou com e exigiu uma boa defesa do goleiro Caíque França. Quatro minutos depois, a Ponte quase abriu o placar com chute cruzado de Igor Formiga que parou em uma excelente intervenção de Rafael Cabral com os pés. Aos 43, Edu recebeu um lançamento perfeito de Neto Moura e mandou para o fundo das redes, abrindo o placar.

O Cruzeiro começou a segunda etapa frenético e ampliou o placar logo aos dois minutos. Fernando Canesim deu um belo passe por baixo para Rafa Silva na área. A bola explodiu na defesa, voltou para Geovane Jesus na direita, que bateu rasteiro na área para a abatida de Matheus Bidu para o gol do outro lado. Após aumentar a vantagem, o Cruzeiro passou a controlar o jogo, sem chances muito claras para ambos os lados. Aos 46, Caíque França tocou com a mão na bola fora da área e foi expulso. Sem poder fazer mais alterações, a Ponte terminou o jogo com o volante Wallisson no gol.

CRUZEIRO

Rafael Cabral; Zé Ivaldo, Lucas Oliveira e Eduardo Brock; Geovane Jesus (Rômulo), Willian Oliveira , Neto Moura (Adriano), Fernando Canesim (Filipe Machado) e Matheus Bidu; Rafa Silva (Rodolfo) e Edu (Breno). T.: Paulo Pezzolano.

PONTE PRETA

Caíque França; Igor Formiga, Fabio Sanches, Fabricio, Douglas Mendes (Matheus Anjos) e Artur; Leo Naldi, Wesley Fraga (Felipe Amaral) e Ramon (Wallisson); Fressin e Nicolaas (Ramires). T.: Guilherme dos Anjos.

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)

Auxiliares: Victor Hugo Imazu dos Santos (PR) e Rafael Trombeta (PR)

VAR: Rodrigo D' Alonso Ferreira (SC)

Cartões amarelos: Rafa Silva (CRU) e Fábio Sanches (PON)

Cartões vermelhos: Caíque França (PON)

Gols: Edu (CRU), aos 43'/1ºT; Matheus Bidu (CRU), aos 2'/2ºT.