|
  • Bitcoin 103.924
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Libra

m de leitura Atualizado em 17/05/2022, 18:25

Clubes pregam negociação coletiva para criação da Libra

Grupo formado por 26 clubes, entre eles o Londrina, quer divisão diferente das receitas e mais recursos para a Série B

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 17 de maio de 2022

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Os 26 clubes denominados signatários divulgaram nota oficial em conjunto sobre a criação da Libra (Liga Brasileira de Clubes). O grupo, que é composto por equipes das séries A e B, entre elas o Londrina, se reuniu na última segunda-feira (16) no Rio de Janeiro e definiu uma proposta sobre a divisão financeira no futebol brasileiro. O LEC foi representado no encontro pelo presidente do Athletico, Mario Celso Petraglia. 

Imagem ilustrativa da imagem Clubes pregam negociação coletiva para criação da Libra Imagem ilustrativa da imagem Clubes pregam negociação coletiva para criação da Libra
|  Foto: Pedro H. Tesch/Agif/Folhapress
  

As decisões serão discutidas com a Libra, que neste momento tem 10 associados, entre eles os quatro grandes clubes de São Paulo, Flamengo, Botafogo, Red Bull Bragantino, Cruzeiro, Vasco e Ponte Preta. 

A nota afirma que os clubes vão se basear em quatro princípios como ponto de partida para se filiarem à Libra: que a nova liga seja formada pelos 40 clubes atualmente nas séries A e B para possibilitar uma comercialização coletiva para maximizar o potencial econômico; a divisão das receitas deve se dar de forma objetiva, meritocrática e equilibrada; que as definições sejam claras e objetivas para evitar conflitos futuros e que as normas de compliance devem ser claras, objetivas, rígidas e de padrão internacional. 

"A Liga deve criar as condições para maximizar o tamanho da receita total e ser compartilhada de forma justa", ressalta a nota. A principal divergência entre os dois grupos é quanto à definição da divisão da receita. 

Enquanto a Libra pretende dividir 40% da receita igualmente entre todos os participantes, 30% por performance e 30% por engajamento e visibilidade, os demais clubes definiram os percentuais em 45%, 30 e 25%. Outra divergência é que a Libra quer destinar 15% do bolo total para a série B, enquanto os signatários exigem 20%. 

Foi criada uma comissão para dialogar com a Libra. O grupo tem os presidentes do América-MG, Atlético-MG, Fluminense, Fortaleza, Internacional e um representante da ANCF (Associação Nacional de Clubes de Futebol). O estatuto da CBF exige a adesão de pelo menos um terço dos clubes das séries A e B, ou seja, a Libra necessita de 13 assinaturas para ser criada oficialmente. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.