Ciência ajuda atletas a alcançar a "idade do lobo"5/Mar, 16:38 Por Paulo Guilherme São Paulo, 05 (AE) - A ciência está ajudando os esportistas a superar a barreira do tempo. Com o desenvolvimento da medicina esportiva, nutrição e fisiologia, os avanços das técnicas de cirurgia, além da modernização dos artigos esportivos, muitos atletas estão conseguindo prolongar a carreira vencendo, até mesmo, a massacrante carga de exercícios e jogos competitivos. São os astros na "idade do lobo". Exemplos como os do zagueiro Mauro Galvão, de 38 anos, que na quarta-feira completou 1.002 partidas como jogador profissional, ou do alemão Lothar Matthaeus, também aos 38 anos recordista mundial de atuações por uma seleção nacional, com 144 partidas, tendem a tornar-se cada vez mais comuns. A longevidade não se restringe só ao futebol. No vôlei, o atacante Carlão, de 34 anos, prepara-se para disputar sua quarta olimpíada como titular da seleção brasileira. Oscar Schmidt, astro do basquete, continua sendo o melhor jogador do país. Está com 42 anos e garante que joga até os 50. O nadador Rogério Romero alcançou o auge da forma aos 30 anos, quase o dobro da idade do maior astro da natação mundial, o australiano Ian Thorpe. Receita - O fisiologista Renato Lotufo, da seleção brasileira e do Corinthians, atribui a longa vida útil de um esportista a quatro fatores: herança genética, dedicação aos treinos e à chamada "vida regrada", alta qualidade técnica, que pode superar uma queda no desempenho físico, e um pouco de sorte para conseguir passar por toda a carreira sem uma grave lesão. No último caso, os avanços nas técnicas de cirurgia e fisioterapia ajudam a diminuir o problema. "Nos últimos dez anos, tivemos um grande avanço da medicina esportiva", destaca Lotufo. "Hoje, o atleta conta com uma série de cuidados que o ajuda a prolongar a carreira." O avanço das técnicas de cirurgia é um desses ganhos dos esportistas. Aos 18 anos, o ex-centroavante Reinaldo já tinha sofrido duas intervenções cirúrgicas. Teve de parar de jogar aos 30 anos. "Com o desenvolvimento da técnica de artroscopia, a cirurgia de menisco que o Reinaldo sofreu ficou mais simples e menos traumática", explica Lotufo. Esse desenvolvimento dá esperanças a Ronaldo, que se recupera de uma delicada operação no joelho. Com dedicação aos trabalhos de fisioterapia e acompanhamento da ciência, Ronaldo tem chances de passar mais de uma década dentro de campo. Cuidados - A rotina de um atleta vai além das horas de treinos e das competições. A alimentação é preparada com a supervisão de nutricionistas e incrementada com vitaminas, proteínas, cápsulas de aminoácidos e carboidratos. Periodicamente, o esportista é submetido a exames de laboratório, avaliação física, controle de peso e taxa de gordura no organismo. O treinamento agora é individualizado: a idade do atleta está diretamente relacionada ao nível de esforço exigido nos exercícios. A qualidade do material esportivo também evoluiu. Os tênis e as novas tornozeleiras são projetados para absorver melhor o impacto. Os modernos pisos das quadras de vôlei e basquete e das pistas de atletismo também poupam as articulações dos atletas. Tudo para dar vida mais longa aos grandes esportistas.