Chuva de recordes
O 5º Mundial de Piscina Curta acabou com o impressionante saldo de 15 recordes mundiais, ajudando aos nadadores americanos e europeus a levantarem o astral em ano olímpico. Agora os campeões de Atenas devem transferir esta experiência para a piscina de 50 metros, e confrontar com a elite australiana, que ficou em casa treinando para a seletiva de maio.
Neil Walker
O americano de 25 anos liderou o festival de quebra de recordes, com cinco – quatro individuais e um em revezamento. Com a premiação de US$ 15 mil por recorde, Walker levou para casa US$ 63.750,00, além de cinco relógios de US$ 2 mil presenteados para cada recorde. ‘‘Agora vou me concentrar na piscina longa. Provas de 50 metros só para brincar’’, disse o nadador de bolso cheio.
Therese Alshammar
Já a sueca, com seu estilo, viradas e saídas perfeitas, produziu os dois resultados mais impressionantes da competição. Ela levou as provas de velocidade para uma área desconhecida até do domínio chinês. ‘‘Primeiro vem Alshammar, depois nada, depois nada, então vem Thompson, e finalmente alguém mais’’, brincou com uma certa seriedade o técnico sueco, Hans Chrunak.
Domínio sueco?
Além de Alshammar, Lars Frolander brilhou na Grécia, quebrando os recordes de Michael Klim nos 50 e 100m borboleta e ficando a apenas um centésimo do recorde de Popov nos 100m livre, que já dura seis anos. Além disso ele ajudou o revezamento 4x100m livre a bater o recorde mundial que pertencia ao Brasil.
Os americanos
Vencendo nove das 40 provas em jogo, os Estados Unidos confirmam seu favoritismo para as Olimpíadas, e tem sua confiança levantada após o recorde do revezamento 4x200m livre, uma das provas mais fortes para a Austrália. Jenny Thompson, mesmo perdendo os 100m livre, brilhou ao manter seus títulos nos 50 e 100m borboleta, neste último quebrando seu próprio recorde mundial.
Mais recordes
O russo Roman Sludnov, foi outro que saiu mais rico de Atenas, graças ao seu desempenho nas provas de peito, 100 e 200. A equipe feminina da Grã-Bretanha também estabeleceu novo recorde no revezamento 4x200m livre. O Brasil, sem suas maiores estrelas, conseguiu um recorde sul-americano no revezamento na mesma prova, com Ana Carolina Muniz, Monique Ferreira, Paula Baracho Ribeiro e Tatiana Lemos.
NCAA
‘Competindo paralelamente’, a equipe de Geórgia bateu o recorde mundial do revezamento 4x100m medley no NCAA, o Campeonato Nacional Universitário Americano, que está sendo realizado pela primeira vez em piscina de 25 metros, na cidade de Indianápolis. Além desse, mais dois recordes foram quebrados no revezamento 4x50m medley, com Haley Cope abrindo com outro recorde mundial para os 50m costas.
Recorde master
Maria Lenk, 85 e Gastão Figueiredo, 90, bateram juntos sete recordes mundiais das categorias, no Circuito Estadual do Rio de natação master, realizado este final de semana, no Rio de Janeiro.