De Londrina
‘‘Triunfo histórico nos leva a Sydney’’. A manchete de primeira página do diário La Tercera, do Chile, informa a milagrosa classificação da seleção chilena para as Olimpíadas de Sydney. O enviado do La Tercera a Londrina, Alejandro Osorio, disse que os jogadores chilenos fizeram do sonho a realidade e que o ‘‘patinho feio’’ estava no céu, brilhando junto às estrelas.
A torcida londrinense também foi notícia naquele jornal. Em seu texto, o jornalista chileno conta que os brasileiros torciam para o Chile como se estivessem torcendo para o Brasil. ‘‘A todo momento, gritos de Chile, Chile, Chile, incentivando os jogadores em campo.’’
Já o jornal argentino El Clarín nem mencionou o comportamento da torcida. Eles estavam mais preocupados com o ‘‘desconhecido’’ Reinaldo Navia, autor do gol que fez a esperança de classificação da Argentina ir por água abaixo. Tanto é que o texto principal do diário argentino mostrava puro desprezo pela seleção chilena. ‘‘Um tal de Reinaldo Navia, chileno de nascimento e oportunista de profissão, se fez de olimpicamente distraído e a quatro minutos do final entrou no que até ali (41 minutos do segundo tempo) parecia ser terra proibida para os jogadores de camisa vermelha, marcando o gol, e levando o Chile surpreendentemente aos Jogos Olímpicos de Sydney.’’
No final do texto, o El Clarín interpreta como os chilenos comemoraram a vitória. ‘‘Eles saltavam como loucos de tão contente. Pareciam cangurus, esses bichos simpáticos que, agora, os meninos argentinos ficarão conhecendo apenas por fotografia.’’