|
  • Bitcoin 143.794
  • Dólar 4,8425
  • Euro 5,1645
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 17/04/2022, 17:02

Chelsea bate Crystal Palace e pega Liverpool na final da Copa da Inglaterra

PUBLICAÇÃO
domingo, 17 de abril de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

MACEIÓ, AL (UOL/FOLHAPRESS) - O Chelsea está na final da Copa da Inglaterra. Neste domingo (17), o clube venceu o Crystal Palace por 2 a 0, no Estádio de Wembley, em Londres, eliminando o rival e avançando à grande decisão do tradicional torneio para enfrentar o Liverpool, que eliminou o Manchester City.

A final da Copa está marcada para o dia 14 de maio, em horário ainda a ser definido. Antes disso, o Chelsea volta a campo contra o Arsenal pela Premier League, no dia 24 deste mês, às 15h45. Já o Crystal Palace pega o Newcastle no mesmo dia, no mesmo horário e também pela Premier.

Loftus-Cheek, atleta do Chelsea que já atuou pelo Crystal Palace em 2018, foi o homem responsável por decidir a partida que até então caminhava para o empate. Aos 19 do segundo tempo, Mitchell perdeu a bola para Azpilicueta, que deixou para Havertz. O alemão colocou para o meio da bagunça e Loftus-Cheek soltou um foguete, que desviou em Andersen antes de entrar.

O gol que garantiu a classificação saiu de Mount em tabela com Werner aos 30 minutos da segunda etapa. O atacante dominou na meia-lua colocando na frente da marcação e bateu cruzado na saída de Butland, que até tocou na bola, mas não o suficiente para salvar.

O Crystal Palace pouco conseguiu atacar e o principal motivo foi a parceria entre Jorginho e Andreas Christensen no setor defensivo. Enquanto Christensen bloqueava e impedia o chute rival, Jorginho recuava sua posição para ajudar na pressão e no consequente roubo da bola.

Anunciado pelo Crystal Palace como promessa de ser o homem-gol em janeiro deste ano, Jean-Philippe Mateta foi completamente anulado pelo zagueiro Andreas Christensen, do Chelsea, que evitou dar espaços para o atacante. Em 45 minutos de jogo, pouco apareceu e não conseguiu chutar uma vez sequer em direção ao gol, sendo substituído na segunda etapa por Jordan Ayew.

Os Blues dominaram a posse de bola, ditaram o ritmo de jogo e controlaram a partida, mas não conseguiram ultrapassar o setor defensivo rival boa parte da partida que fechou principalmente as laterais. Com uma transição lenta e com um ataque descalibrado, a equipe só conseguiu furar o bloqueio na segunda etapa, na qual assinalou dois gols em jogadas com bola trabalhada.

O Crystal não se abalou pelo domínio rival e, evidente da superioridade técnica, fechou em um esquema 4-3-3 para bloquear os espaços e impossibilitar a todo custo o toque de bola do Chelsea em seu setor defensivo que funcionou em alguns momentos. Por outro lado, apostou em jogadas de contra-ataque em velocidade para tentar encontrar uma brecha na defesa dos Blues, mas também não teve sucesso.

A melhor oportunidade de tirar o zero do placar do Crystal Palace saiu apenas aos 37 da primeira etapa. Kouyaté pega a sobra na meia-lua em belo chute de primeira e obriga Mendy a fazer grande defesa. No rebote, já na pequena área, Andersen finaliza com o goleiro no chão, quase na linha, mas manda na trave.