|
  • Bitcoin 103.061
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 22/05/2022, 22:16

Ceni alerta sobre queda de nível do SPFC se não houver estratégia em vendas

PUBLICAÇÃO
domingo, 22 de maio de 2022

BRUNNO CARVALHO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A possibilidade de perder jogadores na janela de transferências do meio do ano ligou o alerta em Rogério Ceni. Na entrevista coletiva depois do empate do São Paulo com o Corinthians, o treinador cobrou que haja uma estratégia por parte da diretoria antes que qualquer venda seja concretizada.

"Vamos nos antecipar para achar no mercado algum jogador que possa fazer a função daquele que será vendido. Alguns jogadores são chaves, se eles saírem sem reposição, também teremos uma queda", disse Ceni.

Em entrevista recente ao "SporTV", o presidente Julio Casares afirmou que o São Paulo precisará vender jogadores para cumprir a meta de R$ 142 milhões prevista no orçamento do clube. Até o momento, o São Paulo acumulou R$ 25 milhões com as negociações de Marquinhos (R$ 18,3 milhões) para o Arsenal, da Inglaterra, e Tiago Volpi (R$ 7,3 milhões) para o Toluca, do México.

"Converso com a direção como um todo. O São Paulo é assim. Vai ter uma venda do Antony que vai entrar um bom dinheiro, arrecadou mais de 40 milhões nas vendas que aconteceram agora [Volpi e Marquinhos]. Pode ser que o São Paulo precise vender um jogador, e não deveria vender um jogador por menos de dois dígitos", prosseguiu Ceni.

"O São Paulo é time para vender jogador acima de 10 milhões de euros. Nesse caso, ok. Mas temos que pensar, planejar e ir em uma Série B trazer uma peça de reposição. O São Paulo formou grande time com jogadores do Goiás, quando esse estava na Série B. Precisamos de desejo, alma e vontade, não de nome. E ter programação com antecedência", continuou.

As promessas vindas de Cotia são as que o São Paulo prevê conseguir negociar no meio do ano. O clube já recusou propostas por Gabriel Sara, Rodrigo Nestor e Igor Gomes por acreditar que eles podem sair por quantias maiores com a reabertura da janela europeia.

"Tem alguns jovens que são muito importantes e que não poderíamos perder. No fim do ano, pode montar novo time, nova pré-temporada. Se for fazer, desmanchar o time [agora], os pontos que conquistamos até agora vão ser importantes por outros motivos", completou.