|
  • Bitcoin 102.490
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 01/06/2022, 23:18

Ceará vence Fortaleza em clássico marcado por agressão e cheio de confusões

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 01 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

MACEIÓ, AL (UOL/FOLHAPRESS) - O Ceará venceu, na noite desta quarta-feira (1°), o Fortaleza, na Arena Castelão, com gol de Cléber, anotado nos acréscimos do primeiro tempo. O jogo foi marcado por confusões, com agressão e a expulsão de Felipe, do Fortaleza. Válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, a partida ainda teve outros momentos conturbados, como duas pausas por conta do uso de sinalizadores.

Os dois times dividiram o domínio na partida, um em cada tempo. O Ceará atacou mais na primeira etapa e chegou ao único gol da partida no final do primeiro tempo; apesar de ter um jogador a menos. O Fortaleza insistiu pelo empate especialmente na reta final do segundo tempo, mas não obteve êxito.

O resultado deixou o Fortaleza ainda mais preso da zona de rebaixamento, com dois pontos marcados em oito jogos. O Ceará, por outro lado, saiu da 19ª posição para a 15ª, com nove pontos.

Aos 7 minutos, o jogo foi interrompido porque muitos sinalizadores eram acesos pela torcida do Fortaleza. Após pouco tempo, o árbitro resolveu reiniciar o jogo. Mas o juiz Braulio de Oliveira Machado fez nova interrupção, aos 12 minutos. No estádio, inclusive, foi realizado pedido à torcida: "Não prejudique o Fortaleza. O uso de sinalizadores é proibido". A partida retomou aos 15 minutos.

Aos 16 minutos, Luis Otávio, do Ceará, sentiu lesão na coxa, enquanto o Fortaleza deu continuidade ao seu ataque. Ao ser marcada uma falta, os jogadores do Ceará se revoltaram e uma confusão começou entre as duas equipes. Ao checar possíveis agressões no VAR, o árbitro Braulio de Oliveira Machado expulsou Felipe por ter agredido Richard, do Ceará. A bola voltou a rolar aos 21 minutos.

Aos 23', o Fortaleza subiu na velocidade de Moisés, que invadiu a grande área e chutou cruzado, de perna direita, mas mandou para fora. Logo depois, o Ceará retribuiu com um bom lance de Victor Luis, que cruzou para Cléber. Completamente livre, o atacante não alcançou a bola, que ficou fácil para o goleiro Marcelo Boeck.

Uma nova confusão surgiu aos 27', após cruzamento de Nino Paraíba, do Ceará. A bola bateu em Juninho Capixaba, e a arbitragem assinalou um bloqueio com o braço. O lateral esquerdo se irritou e os jogadores discutiram; Vina, inclusive, caiu no gramado e ficou deitado. No rebote da falta, a bola sobrou no pé de Erick, que finalizou de primeira, mas para fora.

Aos 36 minutos, Richard recebeu pelo lado direito da grande área e tocou para o meio. Vina recebeu a bola e finalizou para o fundo da rede. O bandeirinha marcou impedimento na jogada. Logo depois, Vina fez corta-luz na intermediária e Lima chapou de primeira, encobrindo o goleiro Marcelo Boeck, que foi salvo pelo travessão.

Seis minutos depois, Richard arriscou de longe e a bola quicou na frente de Marcelo Boeck, que não conseguiu segurá-la e defendeu de manchete. A defesa afastou a bola.

Por conta das paralisações, o jogo teve 10 minutos de acréscimos no primeiro tempo.

Dominando o jogo, o Ceará atacava com mais intensidade e tinha a maior posse de bola. Vina recebeu a bola de costas para a área e emendou um passe de calcanhar para Cléber, que estava sozinho. Aos 56', ele chutou no canto esquerdo do gol e abriu o placar. Por ter tirado a camisa na comemoração, recebeu cartão amarelo.

O Ceará se manteve no ataque desde o primeiro lance. Vina finalizou da entrada da área e Marcelo Boeck encaixou a bola. Aos 8', Fernando Sobral tabelou com Vina e finalizou cruzado de fora da área, obrigando o goleiro do Fortaleza a fazer uma nova defesa.

O Fortaleza quase empatou com Silvio Romero, aos 12 minutos. Lucas Lima levou a bola para a linha de fundo pelo lado direito e tocou para trás para o atacante, que complementou de primeira, mas para fora. O Fortaleza tentou de novo aos 15 minutos. Ceballos recebeu bom lançamento de Juninho Capixaba e tocou para trás. Robson chutou cruzado e também mandou para fora.

Aos 19 minutos, o goleiro João Ricardo, do Ceará, teve de trabalhar. Moisés arrancou em velocidade pelo meio de campo e soltou o pé de longe. João Ricardo caiu no cantinho esquerdo e espalmou a bola, evitando o gol de empate.

Já um pouco melhor no começo do segundo tempo, o Fortaleza continuou indo para o ataque, apesar de ter um homem a menos. O time cresceu em intensidade, mas com problemas para finalizar no alvo. O goleiro João Ricardo sofreu poucas ameaças, embora o Ceará estivesse fechado na defesa durante a reta final do segundo tempo.

Mas o goleiro apareceu aos 39 minutos, impedindo um gol de Titi dentro da pequena área. Após jogada pelo lado esquerdo, Robson conseguiu tocar na bola, desviando a trajetória na direção do zagueiro. Atento, João Ricardo conseguiu interromper a trajetória da bola. Ele defendeu outra bola difícil, aos 47 minutos, em cobrança de falta de Yago Pikachu.

FORTALEZA

Marcelo Boeck; Ceballos (Romarinho), Marcelo Benevenuto e Titi; Yago Pikachu, Felipe, Hércules (Lucas Crispim), Lucas Lima (Zé Welison) e Juninho Capixaba; Moisés (Depietri) e Silvio Romero (Robson). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

CEARÁ

João Ricardo; Nino Paraíba, Messias, Luiz Otávio (Gabriel Lacerda) e Victor Luis; Richard e Richardson (Fernando Sobral); Erick (Iury Castilho), Vina (Marcos Victor) e Lima; Cléber (Matheus Peixoto). Técnico: Lucas Silvestre (auxiliar).

Estádio: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)

Árbitro: Braulio da Silva Machado (Fifa/SC)

Assistentes: Alex dos Santos e Thiaggo Americano Labes (Ambos de SC)

VAR: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)

Cartões amarelos: Ceballos, Lucas Lima, Yago Pikachu e Zé Welison (FOR); Richard, Richardson, Cléber e Lima (CEA).

Cartão vermelho: Felipe (FOR)

Gol: Cléber (CEA), aos 56' do primeiro tempo.