|
  • Bitcoin 121.439
  • Dólar 5,0555
  • Euro 5,2186
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 14/07/2022, 15:58

Cássio lamenta agressão na Vila e pede atitudes

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 14 de julho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O goleiro Cássio se manifestou sobre o episódio de violência que aconteceu nesta quarta-feira (13) na Vila Belmiro, no clássico entre Santos e Corinthians, pela partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Nos Stories do Instagram, o ídolo corintiano cobrou atitudes para evitar uma tragédia e agradeceu aos santistas que o ajudaram após ter sido agredido por um torcedor.

"Não podemos normalizar o que aconteceu ontem na Vila Belmiro. Estivemos diante da possibilidade de uma situação bem mais grave. Atitudes precisam ser tomadas, antes que aconteça alguma tragédia", iniciou o camisa 12.

"Quero aqui agradecer o apoio e as manifestações que recebi. Em especial meu agradecimento aos jogadores do Santos que se posicionaram de maneira contrária ao fato. A união dos jogadores, independentemente da qual camisa vestem, nos dá esperança de que é possível melhorar nosso futebol, desde que haja boa vontade de todos os envolvidos", completou Cássio.

O Corinthians foi derrotado por 1 a 0 no duelo, mas avançou na competição por ter vencido o primeiro confronto, na Neo Química Arena, por 4 a 0. Agora, o time alvinegro paulista saberá seu adversário nas quartas de final da Copa do Brasil na próxima terça-feira (19), em novo sorteio da CBF.

Depois da partida, oito torcedores do Santos foram detidos e encaminhados ao Juizado Especial Criminal (Jecrim), que fica dentro da Vila Belmiro, para prestarem depoimentos. Eles foram liberados na tarde desta quinta-feira (14), mas podem ser presos por até dois anos.

A AGRESSÃO

Após o árbitro Jean Pierre Lima encerrar o clássico pela Copa do Brasil, que terminou com a eliminação do Santos no placar agregado, torcedores do time praiano invadiram o gramado e agrediram Cássio.

Um homem só não acertou uma voadora em cheio nas costas do goleiro corintiano porque o atacante Marcos Leonardo atrapalhou a ação. Momentos antes, sinalizadores e bombas foram lançados da arquibancada em direção ao gol defendido por Cássio.

A partida ficou paralisada por alguns minutos. Com a violência depois da invasão, uma enorme confusão se formou em campo e forçou o elenco do Corinthians a sair correndo em direção ao vestiário.

Em comunicado publicado na madrugada desta quinta-feira (14), poucas horas após o final do confronto, o Corinthians definiu como inaceitável a violência sofrida pelos seus atletas. O clube informou que todos os atletas estão bem e prometeu cobrar punições ao Santos.

A esposa de Cássio, Janara Sackl, desabafou e definiu o agressor da Vila Belmiro como "covarde". Ela também relembrou as ameaças que receberam há pouco mais de três meses de torcedores do Corinthians.

Na repercussão dos acontecimentos, alguns jogadores se manifestaram sobre o episódio. O ídolo santista Neymar, camisa 10 da seleção brasileira e do PSG, lamentou a eliminação do Santos, mas ressaltou que ficou mais triste pela atitude do torcedor.

O meia-atacante Willian, do Corinthians, pediu punição severa aos torcedores que invadiram o gramado e cobrou que as "autoridades responsáveis façam a sua parte".

Por conta do episódio, o Santos pode ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A punição pode chegar a multa de até R$ 100 mil e também perda de mandos de campo.