São Paulo, 01 (AE) - A opção do técnico Levir Culpi de dar prioridade aos atletas jovens está causando repercussão no São Paulo e irritando os mais experientes. O meia Carlos Miguel fez hoje duras críticas à diretoria e deixou claro que prefere ir embora a ficar no banco de reservas. "Já houve propostas de outros clubes e a diretoria dificultou ao máximo a negociação", lamenta o jogador, que tem contrato até 2002. "O time tem muitos jogadores de meio e alguns vão ficar de fora; o Levir deixou claro isso."
Carlos Miguel, que chegou a atrair o interesse do Grêmio
clube que o revelou, admitiu não estar satisfeito com sua atual situação no São Paulo. "Se dissesse que estou satisfeito, teria de largar tudo, mas não posso me desesperar", desabafa. "Se ficar como estou hoje, na reserva, é melhor sair."
O meia jamais conseguiu mostrar no futebol paulista as mesmas qualidades da época em que defendeu o Grêmio e conquistou vários títulos, como o da Libertadores de 1995. "Tive poucas chances este ano e fui bem em algumas partidas, como diante do Santos, no Rio-São Paulo, em que fiz o gol da vitória", lembra. "Mas, nos últimos jogos, entrei só no fim, quando o time estava perdendo; assim é difícil."
Hoje, ele participou do jogo-treino contra o Ituano, no CT da Barra Funda, mas somente dos 50 minutos iniciais, em que atuaram apenas os reservas. E fez, de pênalti, o gol tricolor no 1 a 1.
O diretor de Futebol, José Dias, rebateu as acusações de que o clube estaria dificultando a saída de Carlos Miguel. "Se houver propostas, ele que as apresente a nós, porque, até agora, não sabemos de nada", garante. "Sempre existem especulações de empresários, mas nunca levam a lugar nenhum."
Levir, que não demonstra interesse em utilizar o jogador entre os titulares, está disposto a liberá-lo. "É uma posição sincera, que tem de ser respeitada", afirma o treinador. "Não queremos ninguém insatisfeito no elenco, mas é preciso entender que a diretoria não pode vender o passe do atleta por qualquer preço; afinal, é um jogador de qualidade."
CORTES - Hoje, o São Paulo emprestou o passe de mais dois jogadores que estavam sem aproveitamento no elenco, que, aos poucos, vai sendo reduzido. O volante Sídnei ficará no Sport-PE até o fim do ano e o zagueiro Picón, no Mogi Mirim até junho. O volante Fabrício pode-se transferir para o Santo André.