Gabriel Jesus deixa o campo chorando após torcer o joelho esquerdo neste domingo
Gabriel Jesus deixa o campo chorando após torcer o joelho esquerdo neste domingo | Foto: Glyn Kirk/AFP



O ano de 2017 terminou em choro no Campeonato Inglês e com uma grande preocupação para a seleção brasileira. Em jogo válido pela 21ª rodada, neste domingo pela manhã, uma nova lesão de Gabriel Jesus chamou mais a atenção do que o empate sem gols de seu time, o Manchester City, contra o Crystal Palace, interrompendo uma sequência histórica de 18 vitórias seguidas do líder da competição.
O atacante da seleção torceu o joelho esquerdo após cair de mau jeito ao tentar fazer um combate e deixou o campo chorando, ainda aos 21 minutos do primeiro tempo, substituído pelo argentino Agüero. Por ser a terceira lesão de Jesus desde que chegou ao City, a situação preocupa inclusive o estafe de Tite na reta final de preparação para a Copa do Mundo na Rússia. O Brasil estreia dia 17 de junho contra a Suíça. Segundo o canal ESPN, as suspeitas da comissão médica do clube inglês é que ele tenha rompido os ligamentos do joelho, o que inviabilizaria sua recuperação a tempo de jogar o Mundial.
No jogo deste domingo, o Manchester City entrou em campo disposto a vencer a 19ª partida seguida e assim igualar o recorde de triunfos do Bayern Munique nas principais ligas europeias. O recorde foi obtido em 2014, quando Pep Guardiola, o atual treinador do time inglês, comandava a equipe alemã.
E além de ver a impressionante sequência interrompida, o City ainda correu o risco de perder a invencibilidade. Aos 45 minutos do segundo tempo, em um pênalti mal marcado pela arbitragem, Milivojevic bateu mal e o goleiro brasileiro Éderson defendeu com as pernas, garantindo o empate. O Manchester City segue na liderança isolada, com 59 pontos, 14 a mais do que o Chelsea, segundo colocado. Nesta terça (2), a equipe celeste recebe o Watford, pela 22ª rodada.

Mourinho
Quem também chorou, mas como sempre, para reclamar, foi o técnico do Manchester United, o português José Mourinho. Com 44 pontos, na terceira colocação, ele teme que sua equipe não seja capaz de encarar de igual para igual o City devido ao enorme poder financeiro do arquirrival, em declarações colhidas no final do ano pela imprensa britânica.
"É muito difícil" competir com o City, afirmou Mourinho, depois de lamentar que os 320 milhões de euros gastos com contratações pelo United desde que assumiu o comando da equipe "não são suficientes".
"Vocês pensam que o clube pode colocar agora 600 milhões de libras para comprar seis jogadores de 100 milhões? O clube não pode fazer isso", continuou. (Com France Press).