MONTEVIDÉU, URUGUAI, E SANTOS, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A convocação de Gerson para a seleção brasileira surpreendeu muita gente, mas não foi novidade para quem escuta o técnico Fernando Diniz falar de futebol.

O UOL apurou que Diniz é fã de Gerson há muito tempo e já havia cogitado convocar o meia do Flamengo nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias.

O treinador da seleção sabe da irregularidade de Gerson nessa temporada, mas prefere valorizar outros fatores que são vistos como fundamentais para o Dinizismo.

Gerson chama a atenção de Fernando Diniz pela polivalência e coragem para jogar. O flamenguista sempre está de cabeça erguida e não tem receio de tentar passes, lançamentos e finalizações mais difíceis.

Diniz acredita que Gerson entenderá rapidamente seu estilo de jogo e evoluirá sob o comando de Tite, novo técnico do Flamengo.

Gerson já entrou nos minutos finais do frustrante empate de 1 a 1 com a Venezuela. O meia teve atuação discreta e vacilou na marcação do gol de Bello.

TRÊS EM UM

Gerson é meia de origem, mas já atuou em diversas funções na carreira.

O jogador de 26 anos pode atuar como segundo volante, meia e ponta. Diniz também entende que ele melhorou defensivamente após atuar na Fiorentina e Olympique de Marselha na Europa.

"É uma das convocações mais fáceis para mim. Foi um dos jogadores que eu mais vi atuar, fora os do Fluminense. Fora os jogos em que nos encontramos como adversários, eu tive que estudar muito o Flamengo este ano. E o Gerson tem jogado constantemente bem. Em que pese que, em dados momentos, o Flamengo tem oscilado, acho que ele tem estado muito constante. É um jogador bem acima da média. Tem muita ligação com aquilo que penso do futebol. No Flamengo, já jogou de volante, de médio pelo lado esquerdo, direito, mais à frente, que é uma das características dos time que eu monto. É um jogador muito técnico, forte, de uma mudança positiva de uns tempos para cá. É um jogador combativo, competitivo. Está fazendo muito por merecer essa convocação", disse Diniz.