|
  • Bitcoin 120.830
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2600
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 11/07/2022, 17:38

Brasil terá Rebeca e Flavinha no Pan de Ginástica, no Rio

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 11 de julho de 2022

DEMÉTRIO VECCHIOLI
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Estrela maior da ginástica brasileira, Rebeca Andrade foi confirmada nesta segunda-feira (11) na equipe que irá disputar o Campeonato Pan-Americano da modalidade, no Rio, a partir de sexta-feira (15). O torneio tem ingressos gratuitos e deverá lotar a Arena Carioca 1.

O Pan tem um formato peculiar, sem finais por aparelhos. Na sexta, as apresentações, que vão das 17h às 18h35 no feminino e das 20h às 22h16 no masculino, valem tanto para o individual geral como a prova de cada aparelho. Se Rebeca competir nos quatro, poderá receber cinco medalhas de ouro de uma só vez.

No domingo (17) acontece a final por equipes. A feminina será das 9h50 às 11h40, enquanto a masculina vai ser realizada à tarde, das 15h50 às 18h30. O Pan também terá estes mesmos eventos no juvenil, sempre um dia antes: quinta-feira o individual geral e por aparelhos, e no sábado (16) por equipes.

No feminino, além de Rebeca Andrade, o Brasil convocou Flávia Saraiva, Julia Soares, Lorrane Oliveira, Carolyne Pedro e Christal Bezerra. Aos 31 anos e ainda competindo pelo Flamengo, Jade Barbosa ficou de fora, assim como Thais Fidelis, que passou por cirurgia, ficou um ano afastada, mas participou do Brasileiro.

No masculino a lista tem Arthur Zanetti, Arthur Nory, Caio Souza, Diogo Soares, Leo Matheus e Lucas Bitencourt (Bisteca). Chico Barretto, na seleção brasileira há mais de uma década, é a ausência mais notada.

O Pan de Ginástica Artística é a terceira etapa de uma série de campeonatos continentais de ginástica que estão sendo realizados na Arena Carioca 1. E, por enquanto, o Brasil tem tido bastante sucesso.

No trampolim, o Brasil ganhou cinco medalhas em provas individuais (que são disputadas em Jogos Olímpicos): Camilla Gomes e Alice Hellen fizeram dobradinha de ouro e prata no adulto, enquanto Gabriela Cordeiro e Alice Reis repetiram a dose no juvenil. No masculino, Arthur Ferreira e Marcos Paulo foram prata e bronze no juvenil. A apresentação de Camilla foi a segunda melhor do ano no mundo todo.

Já na ginástica rítmica o Brasil ganhou ouro no conjunto na prova olímpica, que combina duas apresentações, tanto no adulto quanto no juvenil. No individual, foi prata com Geovanna Santos no individual geral adulto e com Maria Eduarda Alexandre no juvenil.