Agência Estado
De Bogotá, Colômbia
Após oito anos, o Brasil volta hoje a disputar as Eliminatórias para Copa do Mundo. O time do técnico Wanderley Luxemburgo inicia às 23 horas (horário de Brasília) a luta para garantir uma vaga ao Mundial de 2002, no Japão e na Coréia do Sul, enfrentando a Colômbia, em Bogotá. Serão 18 jogos até novembro de 2001 contra nove seleções sul-americanas, com partidas nos países vizinhos e no Rio de Janeiro e em São Paulo – por determinação da Fifa, só foram escolhidas duas cidades no Brasil para os jogos.
Quatro seleções se classificam para o Mundial. A quinta colocada pode seguir para a Copa na Ásia se vencer a repescagem contra o representante da Oceania. A última partida do Brasil em Eliminatórias para uma Copa do Mundo foi contra o Uruguai, em 1992, no Maracanã, num dia inspirado de Romário, autor dos dois gols da vitória da Seleção Brasileira. Como campeão do Mundial de 1994, nos Estados Unidos, o Brasil não precisou disputar torneio classificatório para a competição de 1998, na França.
Luxemburgo teve vários problemas para preparar a equipe e vai ter de suportar a motivação dos colombianos, ávidos por uma vitória para recuperar o prestígio após a goleada por 9 a 0 sofrida para o Brasil no Pré-Olímpico em Londrina, em janeiro. Os brasileiros não tiveram tempo sequer para um treino físico, técnico ou tático.
A Colômbia conseguiu reunir a base de seu time com mais antecedência e já realizou três coletivos. O técnico Luís Garcia deve escalar três zagueiros e aposta no futebol de Rincón e no do goleador Juan Pablo Angel para superar o adversário.
Os desfalques de Rivaldo e Cafu, titulares absolutos, e de Athirson, Roque Júnior e Juninho atrapalharam os planos de Luxemburgo, que se abateu com o prazo estipulado pela Fifa para apresentação dos jogadores à seleção – três dias antes de uma partida oficial. Ele pretendia treinar o grupo pelo menos uma semana.
O médico da Seleção Brasileira, José Luís Runco, tranquilizou Luxemburgo e afirmou que o goleiro Dida está sentindo dores musculares, mas poderá atuar na partida contra a Colômbia Segundo ele, todos os jogadores que embarcaram ontem para Bogotá têm condições de jogar.
O Brasil ainda vai ter de lidar com o problema da altitude de 2.600 metros em Bogotá. Segundo o fisiologista Renato Lotufo, o importante é evitar a desidratação, ‘‘comum nas primeiras 72 horas’’ em locais bem acima do nível do mar.
(Leia mais sobre Colômbia x Brasil na página 2 deste Caderno)