Lodz, Polônia - O técnico Bernardinho reclamou nesta segunda-feira da mudança na tabela do Mundial de Vôlei, que acabou prejudicando a seleção brasileira. Pela programação original, o Brasil teria uma folga entre as duas partidas da terceira fase, por ter feito a melhor campanha da competição. Mas isso foi mudado. Assim, enfrentará a anfitriã Polônia nesta terça, às 15h15 (de Brasília), e joga já no dia seguinte contra a Rússia.
Único invicto, o Brasil é dono da melhor campanha do Mundial. Mas as nove vitórias que conquistou até agora não valeram nada na definição das chaves da terceira fase. Um sorteio colocou a seleção brasileira ao lado de Polônia e Rússia, justamente os três principais favoritos ao título do campeonato - enquanto isso, os outros dois semifinalistas vão ser França, Irã ou Alemanha.
Terminar a segunda fase na liderança, como conseguiu o Brasil, serviria para ter um descanso na quarta-feira, entre os jogos com Polônia e Rússia, e também para continuar jogando em Katowice, cidade que abrigou o time de Bernardinho desde o início do Mundial. Mas, como caiu na chave dos anfitriões poloneses, a seleção teve que mudar para Lodz e ainda foi prejudicada com duas partidas seguidas.
"Já sabíamos que, se caíssemos na chave da Polônia, mudaríamos de sede, já que eles iriam jogar em Lodz, mas a mudança nos jogos é o que nos incomoda. O único direito que teríamos adquirido com a primeira colocação era ter um intervalo entre os dois jogos da terceira fase e não houve justificativa para essa alteração. O que estava estabelecido não foi respeitado", reclamou Bernardinho.

Imagem ilustrativa da imagem Brasil enfrenta Polônia no Mundial de Vôlei