|
  • Bitcoin 120.733
  • Dólar 5,0906
  • Euro 5,2449
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 28/06/2022, 14:09

Brasil, com título de Toledo, tem etapa extraordinária no Mundial de surfe

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 28 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Terminou nesta terça-feira (28) a perna de Saquarema do Mundial de surfe. Foi uma etapa de resultado inédito para os brasileiros, que monopolizaram as semifinais da chave masculina, vencida por Filipe Toledo, 27. Na disputa feminina, quem ficou com o troféu foi a havaiana Carissa Moore, 29.

Com a praia de Itaúna lotada mesmo em um dia útil, como já ocorrera na segunda (27), o que se viu na competição dos homens foi uma festa verde-amarela. Nunca na história do circuito quatro atletas do Brasil tinham alcançado as semifinais em um mesmo evento, e os duelos, embora competitivos, tiveram risos e camaradagem.

Na primeira bateria, o novato Samuel Pupo, 21, levou a melhor sobre Italo Ferreira por 11,44 (6,17 e 5,27) a 10,83 (5,73 e 5,10). Já Filipe Toledo derrotou Yago Dora, 26, por 17,36 (8,93 e 8,43) a 15,34 (8,67 e 6,67). Na decisão, Toledo não deu chances a Pupo e rapidamente atingiu uma soma enorme.

O paulista de Ubatuba começou a bateria com um impressionante aéreo que lhe rendeu nota 10 dos cinco juízes. Em seguida, com uma sequência de manobras agressivas, tirou um 8,67, chegou a 18,67 e praticamente decidiu o duelo. Pupo teve de buscar ondas audaciosas e só conseguiu completar uma. Terminou com 10,33 (8,00 e 2,33).

Foi o quarto título de Filipe no Brasil. Vencedor também em 2015, 2018 e 2019, ele se tornou o maior campeão da etapa brasileira, superando o australiano Dave Macaulay. Agora são 12 triunfos no circuito e 14 notas 10. Ainda falta o título mundial, algo que parece bastante palpável nesta temporada.

Toledo já chegou ao dia decisivo em Saquarema classificado à etapa derradeira da temporada, na cidade onde mora nos Estados Unidos, San Clemente. Líder do ranking mundial, ele estará na final independentemente de seus resultados nos últimos dois eventos classificatórios, em Jeffreys Bay (África do Sul) e no Taiti (Polinésia Francesa).

Terão vaga no torneio final os cinco surfistas mais bem classificados na temporada. Além de Filipe, estão na zona de classificação o australiano Jack Robinson, o brasileiro Italo Ferreira, o norte-americano Griffin Colapinto e o australiano Ethan Ewing. Miguel Pupo, em nono, Samuel Pupo, em 11º, e Caio Ibelli, em 12º, ainda brigam.

Atual campeão, Gabriel Medina já não tem chances de defender o título. O tri do mundo ficou afastado da primeira metade da temporada para dar atenção à saúde mental. Na segunda, não obteve resultados suficientes para brigar pelo tetra e, em Saquarema, sofreu uma lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo. Ficará fora de ação por dois meses.

Já Tatiana Weston-Webb, que ficou muito perto da conquista no ano passado, está viva. A gaúcha pulou da nona para a sexta posição no ranking, ficando atrás da havaiana Carissa Moore, da francesa Johanne Defay, da norte-americana Lakey Peterson, da australiana Stephanie Gilmore e da costa-riquenha Brisa Hennessy.

Nesta terça, Tati parou nas semifinais diante de Carissa, a mesma que a derrotou na bateria que valeu o título mundial de 2021. Moore superou a brasileira e bateu na decisão a francesa Johanne Defay. Ela já está classificada à decisão da temporada em San Clemente, nas prestigiadas ondas de Lower Trestles.