|
  • Bitcoin 120.733
  • Dólar 5,0906
  • Euro 5,2449
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 08/07/2022, 21:20

Brasil avança à fase final da Liga das Nações masculina, apesar de tropeços

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 08 de julho de 2022

DEMÉTRIO VECCHIOLI
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Brasil está matematicamente classificado à fase final da Liga das Nações de Vôlei no masculino. O time de Renan Dal Zotto perdeu por 3 a 0 para a França nesta sexta-feira (8), por 3 sets a 0, estacionou em sete vitórias, mas não perde mais um lugar entre os oito primeiros colocados. Ao menos a sétima colocação está garantida.

No vôlei, cada vitória por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1 vale três pontos, enquanto que o triunfo por 3 a 2 dá ao vencedor dois pontos e ao perdedor um. Com 21 pontos após fazer 11 dos 12 jogos da primeira fase, o Brasil ocupa a sexta posição e só pode ser ultrapassado pela Holanda.

Os holandeses têm 17 pontos e ainda fazem dois jogos, contra a Polônia, amanhã, na casa do rival, e diante da líder Itália, domingo, também em Gdansk. O Irã, com 17, e a Eslovênia, com 15, não podem terminar à frente do Brasil porque só têm mais um jogo a fazer.

Como a fase final será na Bolonha e a Itália se classificou, os italianos serão cabeça de chave mesmo que percam essa posição na quadra. Hoje, ainda ocupam o primeiro lugar, mas podem ser ultrapassados por França e Polônia. Se Japão e EUA vencerem Alemanha e Canadá, respectivamente, na rodada de amanhã, também terminam obrigatoriamente na frente do Brasil.

Assim, quando entrar em quadra para pegar o Japão, domingo, às 7h10 de Brasília, na casa deles, o Brasil possivelmente já não terá como alcançar nada melhor que a sexta posição. Como a Holanda é azarã diante da Itália, o mais provável também é a seleção brasileira não cair para sétimo.

Terminando de fato em sexto, o Brasil enfrentaria nas quartas de final, em 20 ou 21 de julho, a terceira colocada da fase de classificação, que pode ser França, Polônia, Japão ou EUA. Desses, perdeu de Polônia (3 a 1, na Polônia), EUA (3 a 1, em casa, em Brasília) e da França (3 a 0, no Japão).

Desde que o torneio (antes chamado de Liga Mundial) tem esse formato de zona de classificação, essa é a pior campanha do Brasil na primeira fase. Até então a pior havia sido o quinto lugar de 2018, com 10 vitórias e cinco derrotas. Desde o começo do século, só em outras duas oportunidades a seleção teve tantos tropeços. Em 2014, caiu em um grupo com Irã, Polônia e Itália e ficou com seis vitórias e seis derrotas. Em 2012, perdeu quatro jogos e ganhou oito.