Brasília, 5 (AE) - Especulações na imprensa brasiliense de que o Gama poderia ser excluído da Copa do Brasil e da Copa Centro-Oeste deste ano, bem como ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, assustaram o advogado Paulo Goyaz, do PFL/DF, que move ação civil pública em favor do Gama contra a decisão do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) no Brasileiro de 1999.
Os boatos aumentaram depois que o presidente da Federação Metropolitana de Futebol do Distrito Federal (FMF), Weber Magalhães, reuniu-se, nos últimos dias, com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. Sem a presença de Goyaz.
Comentou-se que o Gama poderia fazer parte do Clube dos Treze em 2001, sendo promovido, assim, automaticamente, para a Série A do Brasileiro.
"Não foi acertado nenhum tipo de negociação com a CBF"
garantiu Magalhães. Ele disse que, na conversa, ficou definido um novo encontro entre a FMF, a CBF e o Gama para tentar pôr um fim à polêmica.
Goyaz explicou que as partes chegarão a um acordo caso seja anulado o julgamento feito pelo TJD que tirou pontos do São Paulo. Um novo julgamento seria feito e o Gama permaneceria na Série A. "Neste caso, retiraríamos a ação civil", afirmou.
No Rio, na terça-feira, um ato administrativo da CBF determinou que o Serra-ES perdeu os pontos do jogo contra o Náutico na fase decisiva da Série C do ano passado, por causa da escalação irregular do jogador Édson Garcia. Com isso, o Serra permanece na Terceira Divisão e o São Raimundo sobe para a Série B, juntamente com o Fluminense, campeão.