São Paulo, 29 (AE) - A divulgação da convocação da seleção brasileira feminina de basquete para os amistosos contra os Estados Unidos e Cuba marca o início da disputa entre as jogadoras pelas últimas vagas no time que disputará a Olimpíada de Sydney. O técnico Antônio Carlos Barbosa afirma que vai aproveitar as próximas partidas para avaliar algumas atletas, mas admite que são poucas as dúvidas sobre a equipe que irá aos Jogos.
"A não ser que alguma jogadora tenha uma queda de rendimento anormal ou aconteça algum imprevisto, como uma contusão, o grupo base que tem participado das principais competições desde o ano passado deve ser o que irá a Sydney", diz Barbosa. "Não dá para dizer que jogadoras como a Janeth, a Helen, a Marta e a Alessandra estão disputando posição." Segundo o t reinador, outras atletas, como Adriana Santos, Claudinha, Kelly e Silvinha, Leila e Cintia Tuiú estão na mesma situação. A convocação para o Jogos será em junho.
O Brasil vai levar 12 jogadoras para a Olimpíada. Assim, apenas duas vagas ainda não foram definidas. Para os amistosos contra os Estados Unidos e Cuba, Barbosa convocou 14 jogadoras: as armadoras Adriana Moisés, Cláudinha e a ala/armadora Helen, mais as alas Adriana Santos, Cintia Luz, Micaela, Janeth e Silvinha. A ala/pivô Rosângela e as pivôs Alessandra, Eliane, Geísa, Kelly e Marta completam o grupo.
LEÃO - As novidades na lista foram a volta de Cíntia, depois de três anos de ausência, e a estréia de Geísa. "Sei que será preciso matar um leão por dia para conseguir a vaga e, por isso, pretendo me esforçar mais do que já tenho feito no meu clube, o Paraná", explicou Cíntia, animada. Sobre Geísa, Barbosa ressalta que a jogadora será observada por destacar-se nos rebotes e por ter superado a deficiência nas finalizações."
O time apresenta-se no dia 8 em Jundiaí (SP) e faz o primeiro jogo contra os Estados Unidos dia 12, na mesma cidade. Segundo Barbosa, a equipe norte-americana, campeã olímpica e mundial, virá com as principais titulares, como Lisa Leslie, Ruth Bolton e Teresa Edwards.
O técnico da seleção enfatiza que dará prioridade ao preparo físico das jogadoras na preparação para Sydney, uma vez que elas tiveram pouco tempo para esse tipo de trabalho durante as competições e amistosos no ano passado. "Um ponto positivo no nosso trabalho será o intercâmbio que faremos enfrentando várias seleções até os Jogos."