Imagem ilustrativa da imagem ATLÉTICO-PR X FLUMINENSE<br> ‘CALOU’ A ARENA


Fácil, extremamente fácil para o Fluminense. Nem parecia que o adversário de ontem estava até então em igualdade de condições no Campeonato Brasileiro. Até começar o jogo, Atlético-PR tinha a mesma pontuação do Tricolor, além do segundo melhor ataque. Mas, na Arena da Baixada, longe de passar um vento,muito menos um furacão, foi o Fluminense que mandou no jogo e construiu a vitória, por 3 a 0, com certa facilidade.
Ficou claro que o puxão de orelha do técnico Cristovão Borges exigindo maior atitude dos jogadores surtiu efeito. Para o Fluminense, o triunfo não foi apenas bom para mostrar que o time segue certinho as orientações do treinador, mas também para motivar e renovar as esperanças da torcida na luta pelo título.
Sim, o Fluminense é um dos candidatos a levantar a taça. Tudo bem que o Cruzeiro está jogando muito fácil, porém, o Tricolor, com a ótima atuação de ontem, avisa que não deixar á barato para a equipe celeste.
Se der mole, Conca & Cia. Estão prontos para dar uma rasteira no líder da competição. É verdade ainda que o Corinthians está na segunda posição, mas com um ponto a mais apenas. Por isso, a meta continua sendo não deixar o Cruzeiro se distanciar. E, com a vitória de ontem, a equipe das Laranjeiras manteve-se na terceira colocação, com 22 pontos.
O Fluminense aproveitou-se também do fato de o jogo de ontem ser realizado com portões fechados, por conta da punição que sofreu o Atlético-PR em razão da briga entre torcedores atleticanos e vascaínos na última rodada do Brasileiro do ano passado. Pior para o Furacão, que, sem a força da sua fanática torcida, sequer fez um ventinho em casa.
Certo fez o time tricolor, que, logo de cara, foi pra cima do adversário, mostrando quem iria ditar o ritmo do jogo. Até os 17 do primeiro tempo, o Flu cozinhava o adversário no seu próprio "caldeirão" com bom toque de bola. Foi quando Jean, de longe, mandou a bola no cantinho do goleiro Weverton e abriu a porteira.
Aos 34, de pênalti, Conca aumentou o placar e deve agradecer a Rafael Sobis, que fez boa jogada e sofreu falta do arqueiro. A partir daí, o camisa 10 entrou de vez na partida. E isso foi ótimo para o Flu, porque, com o maestro bem, ficou mais fácil ainda chegar à vitória.
Veio o segundo tempo e o script continuou o mesmo. O Atlético-PR esboçou uma reação. Mas ficou só nisso. Diego Cavalieri, por duas vezes, interveio bem. Aí, Cícero, aos 20, sacramentou o triunfo. E a caça à Raposa permanece quente.

Imagem ilustrativa da imagem ATLÉTICO-PR X FLUMINENSE<br> ‘CALOU’ A ARENA