|
  • Bitcoin 143.543
  • Dólar 4,8801
  • Euro 5,1549
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 20/04/2022, 19:21

Astro dos Lakers critica série sobre o time

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 20 de abril de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS ) - Kareem Abdul-Jabbar, maior pontuador do NBA de todos os tempos e astro do Los Angeles Lakers, nas décadas de 1970 e 1980, criticou a série "Lakers: Hora de Vencer" (Winning Time: The Rise of the Lakers Dynasty, no título original), da HBO.

Em longo texto publicado em seu site, o ex-jogador deixa claro que as críticas não se resumem à forma como ele é retratado na série, mas diz que a produção comete "repetidamente o pecado de ser chata".

"Vou começar com a caracterização branda. Os personagens são representações grosseiras de bonecos que se assemelham a pessoas reais da mesma forma que Lego Hans Solo se assemelha a Harrison Ford", escreveu Abdul-Jabbar. "Cada personagem é reduzido a um único traço ousado, como se os roteiristas tivessem medo de que algo mais complexo sobrecarregasse a compreensão dos espectadores. Jerry Buss é o Empreendedor Egomaníaco, Jerry West é o Treinador Enlouquecido, Magic Johnson é o Simplório Sexual, eu sou o idiota pomposo. São caricaturas, não personagens."

Sobre a precisão da série, Abdul-Jabbar deixa claro que entende que os produtores tomam certas liberdades para contar uma história baseada em eventos reais, mas disse que os criadores da série "deliberadamente evitaram fatos como se fossem uma DST" e "substituíram fatos sólidos por ficções de papelão frágeis que não vão mais fundo e não oferecem insights reveladores".

Ele também critica o fato de a atual presidente da franquia, Jeanie Buss, ter sido retratada como a "garotinha do papai" nos primeiros episódios da série. "Fazer dela uma menina diminui suas primeiras conquistas por conta própria."

Sobre a forma como ele próprio é retratado, Abdul-Jabbar diz que enfrentou leucemia, cirurgia cardíaca, câncer, incêndio e racismo. "Uma representação negativa em um programa de TV não tem efeito sobre mim pessoalmente. Mas afeta os outros", se referindo à sua fundação. O ex-atleta nega que tenha dito "foda-se" a uma criança que pediu para tirar foto com ele.

"Mas quando as pessoas veem esse programa e saem com a impressão de que sou verbalmente abusivo com as crianças, é menos provável que apoiem minha fundação. Isso significa que menos crianças poderão participar do programa. Então Adam McKay [produtor da série] está dando a essas crianças um grande foda-se que dura muito mais do que a risada fácil que ele tirou de uma piada desonesta."

VERSÃO DE JERRY WEST

A versão fictícia de Jerry West, que nos 80 foi o primeiro gerente da geração vitoriosa dos Lakers, também é criticada. "É uma pena a maneira como tratam Jerry West, que discutiu abertamente sua luta com a saúde mental, especialmente a depressão. Em vez de explorar seus problemas com compaixão como forma de entender melhor o homem, eles o transformam em um desenho animado de Wile E. para ser ridicularizado. Ele nunca quebrou tacos de golfe, não jogou seu troféu pela janela. Claro, essas ações criam momentos dramáticos, mas cheiram a exploração fácil do homem, em vez de exploração do caráter", escreveu.

Abdul-Jabbar, inclusive, é um dos signatários da carta enviada por Jerry West à Warner Bros e ao criador Adam McKay. Os advogados do ex-atleta alegam que Hora de Vencer "retrata falsa e cruelmente o ex-jogador como uma pessoa fora de controle e embriagado. O Jerry West da produção não tem nenhuma semelhança com o homem real".

"O verdadeiro Jerry West se orgulhava de tratar as pessoas com dignidade e respeito. Hora de Vencer é um ataque infundado e malicioso ao personagem de Jerry West. Vocês reduziram o legado de uma lenda e modelo de 83 anos ao de um valentão vulgar e não profissional - o oposto do homem real", continua a carta.

Lakers: Hora de Vencer foi renovada para uma segunda temporada pela HBO. O canal exibe um novo episódio da primeira todo domingo.