Árvore é arma de torcedores
Mario CesarO torcedor londrinense vem fazendo peripécias para ver seus ídolos de perto – mesmo aqueles que não são abertos ao público. Se o treino acontece no Vitorino Gonçalves Dias, os prédios, construções e até mesmo a maternidade próxima ao estádio recebem torcedores ávidos por uma olhadinha nos craques do time de Luxemburgo. Quando o treino é fechado, como o de ontem na Associação do Funcionários Municipais (zona sul de Londrina), o muro é um bom aliado.
Mas bom mesmo é fazer das árvores um poleiro: além da sombra refrescante, a visão é privilegiada. E foi assim que José e Wanderlei Crisóstomo, pai e filho, resolveram assitir ao treino de ontem à tarde na AFML.
‘‘Aqui em cima é melhor’’, conta o desempregado Wanderley, 22 anos. Para o pai, José, não importa a distância ou mesmo a dificuldade: ‘‘Vale tudo para ver a seleção’’, ele acredita.