|
  • Bitcoin 102.582
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 14/06/2022, 19:15

Alemanha atropela Itália, vence por 5 a 2 e quebra jejum histórico

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 14 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Alemanha não tomou conhecimento da Itália e, com facilidade, venceu a atual campeã da Eurocopa por 5 a 2 atuando dentro de seus domínios. A partida, disputada nesta terça-feira (14), foi válida pelo grupo 3 da Liga das Nações.

O gigante resultado, de quebra, pôs fim a um jejum histórico: foi a primeira vez que os alemães venceram os italianos em competições oficiais de futebol.

Com o placar, os comandados de Hansi-Flick chegaram aos seis pontos na tabela e mantiveram a invencibilidade de quatro jogos —são três empates e uma vitória. A Hungria, no entanto, lidera a chave com um ponto a mais após golear a Inglaterra por 4 a 0.

A seleção italiana, por outro lado, estacionou nos cinco pontos e não depende mais de si para avançar às semifinais do torneio europeu.

A partida começou agitada e a primeira chance de gol saiu logo aos sete minutos em ataque dos visitantes —com direito a milagre de Neuer.

Dentro da área, Raspadori recebeu cruzamento da direita e protagonizou um cabeceio "de manual" ao mirar a bola no canto e para o chão. O goleiro alemão, no entanto, agiu no puro reflexo e conseguiu defender. No rebote, Gnonto até tentou concluir, mas estava em posição de impedimento.

A Alemanha, no entanto, respondeu de maneira mais eficiente dois minutos depois e abriu o placar dentro do Borussia-Park.

O zagueiro Sule lançou para Werner, que recebeu de costas e acionou Raum já na ponta esquerda. O lateral cruzou na medida para Kimmich, que apareceu sem marcação dentro da área e superou Donnarumma em chute colocado.

Após o gol, os donos da casa não recuaram e passaram a controlar de vez o ritmo do jogo. Na metade de etapa inicial, a posse de bola alemã passou da casa dos 75%.

Já nos acréscimos do primeiro tempo, a Alemanha finalmente ampliou o marcador. Em cruzamento da esquerda, o zagueiro Bastoni acabou empurrando Hofmann dentro da área.

Apesar de estar longe da jogada, o árbitro Istvan Kovacs viu a infração e assinalou, rapidamente, o pênalti para os mandantes.

O lance foi rapidamente revisado —e confirmado— pelo VAR. Gundogan, batendo no meio do gol de Donnarumma, balançou as redes.

A Itália até tentou agredir o rival no início da etapa final, mas novamente pecou na eficiência em finalizações de Cristante e Calabria.

Assim como no primeiro tempo, a resposta veio com gol. Aos cinco minutos, Raum recebeu na esquerda e cruzou rasteiro para a área.

Spinazzola, na tentativa de afastar a bola na pequena área, acabou dando uma "assistência" para Thomas Muller, que estufou as redes dos visitantes.

Logo depois do terceiro gol, a seleção italiana aproveitou um erro na saída de bola alemã e teve a melhor chance de diminuir e evitar uma goleada.

Caprari recebeu pelo meio e arriscou de fora da área. A bola desviou em Barella, que conseguiu aproveitar o próprio desvio e finalizar ao gol de Neuer. O goleiro, no entanto, conseguiu salvar de maneira inacreditável. Apesar dos esforços, o lance foi invalidado por impedimento.

O quarto gol saiu aos 22 minutos. Após triangulação pelo meio, Gnabry foi acionado na ponta esquerda e empurrou para o meio da área.

Timo Werner, que havia "batido na trave" em diversas chances ao longo do duelo, deu um carrinho e conseguiu deixar o dele.

Não deu nem tempo de a Itália respirar e, no lance seguinte, a Alemanha fez mais um: em grotesco erro na saída de bola dos visitantes, Donnarumma tocou na fogueira para Cristante. A bola espirrou e parou nos pés novamente de Werner, que deslocou o goleiro rival.

O primeiro gol italiano saiu aos 32 minutos da etapa final —e em um vacilo dos donos da casa. Em cruzamento rasteiro de Calabria, a bola atravessou a área e parou nos pés de Dimarco, que chutou cruzado ao gol de Neuer. O experiente arqueiro alemão, desta vez, acabou espalmando nos pés do jovem Gnonto, que descontou para o seu país.

Antes do apito final, houve uma série de invasões isoladas de torcedores da Alemanha, eufóricos com o resultado, no gramado do Borussia-Park. Eles foram contidos pelos seguranças, que tiveram alguma dificuldade para sanar o problema.

Já nos acréscimos, Neuer mostrou mais uma vez porque é um dos grandes nomes do futebol mundial ao defender, de maneira espetacular, um chute de Dimarco.

O 5 a 2, no entanto, veio no último lance em gol marcado pelo zagueiro Bastoni já dentro da área.