Acidentes tiram Magnussen e Kvyat do GP da Inglaterra


SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O GP da Inglaterra teve dois acidentes antes do primeiro quarto da prova completada, neste domingo (2), no circuito de Silverstone. O dinamarquês Kevin Magnussen e o russo Daniil Kvyat, que não se ajoelheram no protesto antirracista promovido pela Fórmula 1 antes da largada, foram as vítimas.

O primeiro a sair foi Kevin Magnussen. O piloto da Haas se envolveu em um acidente com o tailandês Alexander Albon no fim da primeira volta. Em uma disputa por posição em uma curva, o dinamarquês tocou na roda do carro da Red Bull, deslizou para fora da pista, e chocou forte contra o muro. Magnussen não teve nenhum problema.



O piloto dinamarquês foi a novidade entre os pilotos que não se ajoelharam na manifestação antirracista antes da largada. Ele se juntou a Max Verstappen, Antonio Giovinazzi, Carlos Sainz, Charles Leclerc, Kimi Raikkonen e Daniil Kvyat, que já haviam adotado essa postura nas etapas anteriores da temporada 2020.

Já Kvyat deixou a corrida na 13ª volta em um acidente isolado. Ele pisou a sua AlphaTaury em uma zebra, rodou e saiu da pista. Nada aconteceu com o piloto também. O piloto russo foi outro dos que não se ajoelharam na manifestação do início do GP em Silverstone.



Até a 13ª volta, três pilotos já não faziam parte da corrida. Além de Magnussen e Kvyat, Nick Hulkenberg, da Racing Point, nem largou por causa de problemas mecânicos pouco antes da largada. "É claro que é um pouco decepcionante para mim", afirmou o piloto alemão, que foi chamado de última hora para a corrida em substituição ao mexicano Sergio Pérez, afastado por ter contraído Covid-19.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo