Abel mantém diálogo com capitães e não crê em 'perda do vestiário' no Palmeiras


DIEGO IWATA LIMA
DIEGO IWATA LIMA

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Abel Ferreira não acredita que possa haver descontentamento geral dos jogadores com seu trabalho no Palmeiras. Ou como se diz em "português brasileiro" bem claro —e no caso vale a especificação—, o técnico não crê na hipótese de que tenha "perdido o vestiário".

Segundo a reportagem apurou, Abel tem contato próximo e constante com seus capitães, Felipe Melo, Weverton e Gustavo Gómez, justamente para também monitorar qualquer descontentamento do tipo.

O treinador não detectou qualquer ruído na relação com seus jogadores, mas crê também que teria habilidade para contornar algo do gênero, caso viesse a acontecer. A percepção é a mesma de pessoas ligadas à diretoria.

A reportagem apurou também que o estilo de jogo mais reativo de fato não é amplamente apreciado por todos no elenco. Mas que isso não seria motivo para qualquer tipo de motim contra o técnico de modo a levá-lo a um processo de fritura.

Conforme sempre afirma, Abel quer ser parte da solução, e não dos problemas dentro do Palmeiras. Isso indica que o português não deverá bater o pé para permanecer no Palmeiras, sem trocadilho, se entender que seu comando não está chegando aos jogadores.

Com o empate sem gols diante do Bahia na terça-feira (12), o Palmeiras chegou à sua sétima partida consecutiva sem vitória, a quinta pelo Campeonato Brasileiro. Duas delas foram os empates com o Atlético-MG pela Copa Libertadores (0 a 0 e 1 a 1), que deram ao clube alviverde a vaga na final, contra o Flamengo, em 27 de novembro.

O presidente Mauricio Galiotte afirmou na quarta (13) que Abel Ferreira não corre risco de demissão até o fim de seu mandato, em dezembro deste ano. Na sequência, Leila Pereira, que quer Abel no comando, assumirá o clube.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo