|
  • Bitcoin 102.310
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

VISÃO DE JOGO

m de leitura Atualizado em 20/06/2022, 00:19

A ética e os técnicos de futebol

Quando o técnico “abandona” um time para seguir em outro ainda com contrato em vigência está errado? É falta de ética?

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 20 de junho de 2022

Julio Oliveira
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

É consenso de que não há função mais vulnerável neste país do que técnico de um time de futebol. Qualquer trabalhador mantém seu posto pelo envolvimento, dedicação, experiência adquirida, comprometimento e resultados. Para técnicos de futebol só vale o último como garantia de manutenção do cargo. E mais nada.

Rio de Janeiro (RJ), 15/06/2022 - Flamengo-Cuiabá - Dorival treinador do Flamengo,durante partida contra o Cuiabá,válida pela décima segunda rodada do Campeonato Brasileiro 2022.,realizada no estádio Mário Filho (Maracanã),na zona norte do Rio de Janeiro,nesta quarta-feira (15). (Foto: Alexandre Durão/Zimel Press/Folhapress) Rio de Janeiro (RJ), 15/06/2022 - Flamengo-Cuiabá - Dorival treinador do Flamengo,durante partida contra o Cuiabá,válida pela décima segunda rodada do Campeonato Brasileiro 2022.,realizada no estádio Mário Filho (Maracanã),na zona norte do Rio de Janeiro,nesta quarta-feira (15). (Foto: Alexandre Durão/Zimel Press/Folhapress)
Rio de Janeiro (RJ), 15/06/2022 - Flamengo-Cuiabá - Dorival treinador do Flamengo,durante partida contra o Cuiabá,válida pela décima segunda rodada do Campeonato Brasileiro 2022.,realizada no estádio Mário Filho (Maracanã),na zona norte do Rio de Janeiro,nesta quarta-feira (15). (Foto: Alexandre Durão/Zimel Press/Folhapress) |  Foto: Alexandre Durão/Zimel Press/Folhapress
 

A diferença para os trabalhadores comuns dentro do sistema de CLT é que estes profissionais se “protegem” pelos contratos. Não são garantia de vida longa, mas são atestado de ressarcimento. A justificativa em se garantirem com os contratos é exatamente pela vulnerabilidade que a cultura do resultado criou em cima da função. Um time que vai mal não pode mandar todo mundo embora. Então, dispensa o técnico. 

Cobra-se dos clubes um comportamento diferente. Mais paciência ou mais profissionalismo pode ser parâmetro razoável, mas quando há pressão externa não há ética nem filosofia de trabalho. E, assim, a cultura deste comportamento vai se repetindo com pouca discussão. 

LEIA TAMBÉM:

O bem-amado
O dia em que fui à casa do Zico

Mas ultimamente tem-se cobrado também a conduta do outro lado: quando o técnico “abandona” um time para seguir em outro ainda com contrato em vigência. Está errado? É falta de ética? Como julgar um profissional que vive num sistema viciado e que ele não pode ter direito à própria escolha? 

Não dá pra definir o certo ou o errado se a cultura está pronta e o sistema apenas segue: se o time vai mal dispensa o técnico; se o técnico recebe uma proposta mais interessante, aceita e vai embora. É como se fosse “se você faz eu também posso fazer”.

Acredito que a cultura seja mais impactante na influência das decisões do que encontrar responsáveis diretos. Somos resultado do meio, e o meio ainda é apenas de resultados e não de trabalho. 

O escocês Alex Ferguson dirigiu o Manchester United por 27 anos. Precisou de três anos para conquistar a primeira Copa da Inglaterra e sete para o primeiro título nacional. O Flamengo nos últimos três anos dispensou quatro técnicos e desembolsou
R$ 21 milhões em indenizações. E agora contratou Dorival Júnior, que “deixou” o Ceará pelo convite rubro-negro. Ah, procurado, Juan Pablo Vojvoda, do Fortaleza, disse não. Os exemplos e as escolhas estão aí.

São necessárias gerações para mudar uma cultura comportamental ou que surjam atitudes revolucionárias de um setor para termos ajustes mais expressivos. E quem vai contribuir primeiro para este círculo vicioso: times ou técnicos? Enquanto um agir em função da atitude do outro jamais vamos evoluir.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.