|
  • Bitcoin
  • Dólar
  • Euro
Londrina

MERCADO DE TRABALHO 5m de leitura Atualizado em 27/09/2021, 07:29

Perspectivas e empenho são caminhos para se recolocar no mercado de trabalho

Especialistas destacam profissionais mais almejados e como se tornar um deles mesmo em meio à crise

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Walkiria Vieira - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A carteira de trabalho assinada já não é mais o único documento que representa a segurança desejada pelo trabalhador para estar no mercado. O reconhecimento perpassou o símbolo concreto -  a caderneta azul preenchida - e quem está na ativa sabe que há outras formas de conquistar espaço, fazer seu nome, ser valorizado e para tal é essencial estar atento às mudanças e oportunidades. O desemprego no Brasil não é uma novidade, nem a informalidade. O salve-se quem puder também não.  

De acordo com  a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 31 de agosto,  o número de pessoas que procuravam emprego somou 14,4 milhões de pessoas no trimestre. 

Em Londrina, a Secretaria Municipal do Trabalho, Emprego e Renda (SMTER) apresenta em média 350 oportunidades de emprego disponíveis para mais de 140 cargos diferentes. Várias das oportunidades não exigem experiência na função, e o nível de escolaridade é diversificado. As vagas  atualizadas podem ser conferidas pelo site da Secretaria Municipal do Trabalho, Emprego e Renda,   aqui no Portal da Prefeitura. Para se candidatar, os interessados que cumprem os requisitos de cada vaga podem agendar o atendimento on-line, e receber o atendimento por WhatsApp, direto de casa, pelo serviço disponibilizado pela SMTER.

COACH ORIENTA PRA ENTREVISTAS ON-LINE

 Mirla Thayanna Caúla: preparo para entrevista on-line é essencial
Mirla Thayanna Caúla: preparo para entrevista on-line é essencial |  Foto: Divulgação
 

A coach e analista comportamental Mirla Caúla reconhece que há  macetes para preencher currículos e se portar em entrevistas on-line. Caúla explica que desde o surgimento da pandemia do novo coronavírus,  o cenário no mercado de trabalho foi alterado. Enquanto muitas empresas tiveram de desligar funcionários, muitas outras passaram a contratar. Ainda assim, é importante adequar as capacitações aos processos seletivos, que atualmente acontecem de forma rápida e on-line.

Mirla Caúla, que é analista comportamental  e possui formação internacional em Coaching Integral Sistêmico e Master Coach   explica que  apesar de on-line, é necessário ter atenção com os processos feitos pela internet. "Um ponto-chave é a construção dos currículos nas plataformas de contratação. Itens como experiências e resultados obtidos, juntamente aos dados pessoais, objetivos, formação acadêmica são essenciais”, ressalta.

Segundo a coach, as entrevistas também possuem algumas regras de postura, já que 87% delas são feitas via internet atualmente. "Além da preparação, o silêncio é de muita importância na hora da apresentação on-line. Tanto homens como mulheres devem se apresentar de maneira formal, por isso optar por roupas sóbrias e maquiagem leve é uma boa ideia. Lembre-se que a primeira impressão é a que pode ocasionar impacto positivo ou negativo”, observa.  A profissional aplica as técnicas avançadas de qualidade em gestão e crescimento de lucros para desenvolvimento de empresas, com a visão de estratégia de mercado.

Caúla também ressalta a importância de fazer uma boa pesquisa sobre a empresa, estudando seus valores e alinhamento, dessa forma a entrevista pode ser conduzida de forma objetiva. “Se você falar sobre seus valores e princípios, pode também coincidir muito com o que a empresa pede hoje em dia, então foque nos seus resultados e busque antes de qualquer contato entender sobre a missão, visão e valores que aquela empresa representa", finaliza.

OS PROFISSIONAIS QUE O MERCADO DESEJA

Danielle Vogado: "Profissional deve conhecer suas fortalezas e identificar suas fraquezas como pontos de partida"
Danielle Vogado: "Profissional deve conhecer suas fortalezas e identificar suas fraquezas como pontos de partida" |  Foto: Divulgação/ Gustavo Santos Neto
 

De acordo com Danielle Vogado, sócia-proprietária da Minimalista - Gestão Estratégica de Pessoas e Processos,  existem algumas competências que são chave para qualquer área de atuação, o conjunto dessas competências remete ao profissional do futuro, ou seja, o profissional que vai conseguir se adequar às novas realidades das empresas. "Comunicação, colaboração,  curiosidade e pensamento crítico: entender a causa e efeito, ideias soltas não cabem mais à mesa. A importância de ser crítico em suas análises, se antecipar  a possíveis problemas e a busca pela qualidade são essenciais nos dias de hoje, onde cada vez mais não há espaço para erros", destaca Vogado.  

Segundo a especialista, o profissional que está buscando recolocação deve fazer uma reflexão interna, uma auto avaliação.  "Conhecer suas fortalezas e identificar suas fraquezas são pontos de partida para iniciar a busca de uma nova oportunidade profissional e  deve ter muito claro para si quais são seus objetivos. Só assim se pode olhar para o mercado de trabalho, pois quando não se sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve, é aí que o profissional acaba aceitando oportunidades que não fazem sentido pro seu momento de vida e não está alinhada com seu planejamento de carreira.

Depois, se deve buscar oportunidades em empresas que tenham valores alinhados aos seus, e forneça as ferramentas que serão necessárias para atingir seus objetivos profissionais", esmiúça.

Ambientes de trabalho inclusivos são um tanto cobiçados. De acordo com Vogado, isso acontece porque o ambiente inclusivo é aquele que faz com que qualquer pessoa, seja ela quem for, se sinta parte do todo, saiba sua importância, e consiga conviver com a tranquilidade de poder ser quem é. "Isso reflete diretamente em como a empresa é vista por seus funcionários. Gosto da frase da Vernā Myers, VP de Inclusão, na Netflix, que diz "Diversidade é convidar para a festa, inclusão é tirar para dançar". E ratifica: "A mensagem que a empresa passa, sua cultura inclusiva, transmite respeito, que entende que não somos todos iguais e que respeitamos essas diferenças." 

FAMÍLIA UNIDA DEVE REAGIR ÀS DIFICULDADES 

Juliana Flores aconselha sobre os momentos de desemprego: "Se a família está unida, se mostra que está sob controle, a segurança é transferida para os filhos"
Juliana Flores aconselha sobre os momentos de desemprego: "Se a família está unida, se mostra que está sob controle, a segurança é transferida para os filhos" |  Foto: Walkiria Vieira
 

A diminuição da renda ou a perda do emprego em uma família são questões sérias. Muitas dúvidas sobre como lidar com o assunto existem em diferentes camadas sociais e, do ponto de vista da Coach Parental Juliana Flores, os filhos precisam saber o que está acontecendo dentro de casa. "Não se trata de levar o problema para eles e colocar sobre os dependentes uma responsabilidade que não pertence a eles. Muito menos se fragilizar perante a situação, pois o modo como pai age, se mostra que está sob controle, se a família está unida, a segurança é transferida para os filhos". 

De acordo com Flores, a cada faixa etária deve haver um modo de falar, um vocabulário adequado. "Para uma criança de seis anos, pode falar que está triste, com receio, com um pouco de medo e não ansioso e depressivo", ensina. A coach explica que a maioria das crianças e adolescentes  não sabe  expressar o que está sentindo e os pais e responsáveis precisam saber nomear as frustrações e o que estamos sentindo e permitir que os filhos entendam o momento que a família está passando. 

"Quando a família age com transparência  gera  habilidades que serão boas para os filhos e sua formação, pois  aprendem a controlar  a ansiedade e a expressar os sentimentos de forma correta e a ter  um controle emocional que será importante para o resto da vida. Desse modo, passa a ter noções de  que não precisa se agitar diante de um problema, mas se acalmar, pensar e tomar decisão e isso vem com o exemplo dos pais diante da solução de problemas. Os pais, só pela expressão facial,  dão uma mensagem ao filhos. É importante que as famílias se mantenham firmes e os responsáveis transmitam que estão no controle", diz. E  acrescenta: "Crianças e adolescentes querem se sentir seguros , ter limites, ter seu porto seguro e saber com quem podem contar, isso vem de uma via mesmo, não é uma questão só desse momento de crise financeira e muitas famílias não estão preparadas para lidar com essas realidades. 

A busca do apoio psicológico pode ser um caminho para lidar com os problemas e amadurecer com eles unidos", alerta.

...

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM