|
  • Bitcoin
  • Dólar
  • Euro
Londrina

MERCADO DE TRABALHO 5m de leitura Atualizado em 30/08/2021, 08:25

Cursos técnicos e profissionalizantes abrem portas de trabalho

Garantia de colocação no mercado e brevidade de cursos atraem formandos e abrem perspectivas para trabalhador

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Walkiria Vieira - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Falta de tempo não é desculpa para não se atualizar no mercado, fazer um novo curso ou aprender uma profissão e colocá-la em prática em um período menor do que se imagina. Diante da velocidade do mercado, os cursos ganharam aperfeiçoamento, se adaptaram às necessidades das empresas, assim como investiram em qualidade para a formação de novos alunos. Os cursos técnicos profissionalizantes, os de estética específicos, assim como as políticas de geração de renda são fontes de conhecimento e inserção no mercado formal. As experiências mostram que o investimento é válido e a colocação ou recolocação, com dedicação acontece.

Em relação à empregabilidade, uma pesquisa encomendada pelo Sistema Fiep à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e executada pela Paraná Pesquisas, de 2019, demonstrou que os egressos do Senai no Paraná têm alta empregabilidade. O levantamento mostra, por exemplo, que 62% dos egressos que responderam à pesquisa demoraram menos de seis meses para conseguir um emprego, após a conclusão do curso. A opção de cursos é grande: Técnico em Administração; Técnico em Desenvolvimento de Sistemas; Técnico em Eletromecânica; Técnico em Eletromecânica; Técnico em Manutenção Automotiva; Técnico em Eletrotécnica; Técnico em Redes de Computadores; Técnico em Segurança do Trabalho;  Automação industrial, Construção civil, Manutenção Automotiva. Manutenção Industrial, Metalmecânica, Panificação, Soldagem, Tecnologia da Informação e Comunicação, Vestuário.

Pesquisa mostra que que os egressos dos cursos do Senai do Paraná têm alta empregabilidade
Pesquisa mostra que que os egressos dos cursos do Senai do Paraná têm alta empregabilidade |  Foto: Gelson Bampi/ Divulgação
 

O Senai Paraná existe desde 1943. Desde 2018, até o primeiro semestre de 2021, contou com mais de 377 mil alunos matriculados. Só em Londrina são mais de 24 mil alunos. O Sistema Fiep  tem ainda cursos de Graduação, ofertados por meio das Faculdades da Indústria. Informações: https://www.faculdadesdaindustria.org.br/graduacao/ e cursos de Pós-graduação, ofertados por meio das Faculdades da Indústria.

Conheça mais: Cursos Rápidos ofertados pelo Senai de Londrina /; Cursos de Pós-graduação, ofertados por meio das Faculdades da Indústria

CASTALDI É REFERÊNCIA DE FORMAÇÃO TÉCNICA

O Centro Estadual de Educação Profissional Professora Maria do Rosário Castaldi, consolidado popularmente como  Castaldi é uma referência quando se refere à formação técnica. Com 43 anos de atuação, sua vocação técnica profissionalizante acompanha a linha do tempo e é reconhecida por diferentes gerações de alunos, professores e empresas que sabem que os formados pelo Castaldi são preparados com diferencial.

De acordo com o professor do curso de Administração da Unidade, Fábio Chagas, a aceitação é uma crescente ao longo de sua história. "Nossa colocação é muito boa, fazemos parcerias com agências de trabalho e empresas que precisam de nossos alunos e automaticamente os contratam. Copel, Sanepar e empresas de grande porte privadas, assim como as de pequeno porte nos procuram", cita. Administração, Eletrotécnica, Eletromecânica, Mecatrônica, Manutenção, Suporte em Informática e Química são cursos técnicos profissionalizantes ofertados. A duração dos cursos é de quatro anos de duração na modalidade integrada - aluno faz todas as disciplinas do Ensino Médio com as Técnicas e a na modalidade subsequente - para quem já terminou o Ensino Médio o prazo é de um ano e meio para o curso de Administração e dois anos para os demais cursos.

A realização de visitas técnicas a empresas de Londrina e região é parte da formação. Conhecer a Itaipu em Foz do Iguaçu, a  Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) e a Coca-Cola em Maringá - são exemplos de experiências práticas, ligadas ao turismo de negócios e que também servem para a socialização dos formandos. "Passam a ter conhecimento para o mundo do trabalho de todo o processo industrial de uma produção, por exemplo", cita Chagas.

De acordo com a professora, coordenadora de cursos do período vespertino e diretora do Castaldi, Cleide Camargo, trata-se de formação integral - técnica, humana e prática que inclui palestras com professores que tenham a acrescentar com suas experiências e oferecem conhecimento para que o aluno tenha um preparo completo e se sinta seguro, preparado para o mercado.

ECONOMIA SOLIDÁRIA É ALTERNATIVA DE ACESSO AO MERCADO

Com mais de 10 anos de atuação, o projeto Economia Solidária trabalha com ações e foco na inclusão produtiva e geração de renda. De acordo com a coordenadora de equipe da Caritas, Soraya Garcia de Campos, o projeto é uma parceria da Caritas com a Secretaria Municipal de Assistência Social. " O objetivo é oportunizar para a população uma forma de rendimento para diferentes públicos, sendo que muitos estão fora do mercado", explica.

Quem expõe um produto em uma das lojas físicas do Centro Público de Economia Solidária é chamado de membro dos empreendimentos econômicos solidários. "Pois é o desenvolvimento de um trabalho relacionado a uma política pública, por isso são usuários de uma política pública", ratifica Campos. Artesanato, alimentos, costuras e várias habilidades são trabalhadas com cada novo membro para que possa se desenvolver e inserir seu projeto. A coordenadora explica ainda que todos os grupos são acompanhados por uma equipe multidisciplinar para ser capacitada tanto no campo técnico como no da gestão financeira, administrativa e até a fase de atendimento ao consumidor. "Sim, da produção até a comercialização, damos todo o suporte".

Silvia Mendonça, da Garden Terra Molhada, faz parte da Economia Solidária há nove meses
Silvia Mendonça, da Garden Terra Molhada, faz parte da Economia Solidária há nove meses |  Foto: Walkiria Vieira
 

Com nove meses de adesão ao programa, Silvia Mendonça cultiva e comercializa plantas. Com propriedade, fala das transformações que a Economia Solidária tem feito em sua vida e, além disso, do poder das plantas na vida das pessoas. "Uma planta não é decorativa, é terapêutica. Você adquire ou ganha uma planta e 90% das pessoas me dão esse feedback de que as plantas são para se relacionarem".  Uma das mais procuradas é a lavanda e Mendonça fala de suas propriedades: "É calmante, combate a insônia, é antisséptico, melhora o astral da casa e tem função antibiótica. Observe que desde produtos para banheiro e casa e os perfumes mais sofisticados possuem notas de lavanda", explica.

De olho nas oportunidades

Maria Isabella de Oliveira, 21 anos, viu 
no curso de Extensão de Cílios da Jumper uma forma de incrementar a 
renda
Maria Isabella de Oliveira, 21 anos, viu no curso de Extensão de Cílios da Jumper uma forma de incrementar a renda |  Foto: Walkiria Vieira
 

Com o uso obrigatório de máscaras tampando boa parte do rosto, o alongamento dos cílios ganhou fama como forma de realçar o olhar e a beleza. A duração do curso na escola é de 16 horas – a menor carga horária entre as várias formações oferecidas – e atrai pelo foco na prática e pelas oportunidades de renda.

Maria Isabella de Oliveira tem 21 anos e trabalha no comércio. Ela viu no curso de Extensão de Cílios da Jumper uma forma de incrementar a renda e acaba de montar seu próprio espaço em uma sala no centro cidade, para atender em horários alternados aos do seu emprego formal. A  agenda cheia, com clientes distribuídos até o final do mês de setembro, a motiva a aprender mais e já iniciou novos cursos profissionalizantes, de depilação e designer de sobrancelhas, também na escola.

 A franqueada da Jumper em Londrina, Mirian Numata, abriu a primeira unidade na Avenida Saul Elkind, zona norte, em 2019. De lá pra cá, entre as principais mudanças, fica claro o aumento da procura por cursos que oferecem a possibilidade de empreender ou mesmo de renda extra os três cursos mais procurados são da área de estética e beleza, sendo, nesta ordem: extensão de cílios, manicure e cabeleireiro. "O perfil dos alunos é bastante variado. “Podemos estimar que mais de 50% são jovens até 18 anos, mas registramos um aumento expressivo no público acima dos 30 anos", revela Numata.

Serviço:

Centro Estadual de Educação Profissional Professora Maria do Rosário Castaldi - (43) 3338-0011

Centro Público de Economia Solidária: (43)  3378-0577

Jumper: Av Saul Elkind, 1450 Contato. (43) 3337-7030 e Rua Hugo

Cabral, 710 (43) 99998-0090

Senai: Cursos Rápidos ofertados pelo Senai Londrina ou (43) 3294 5100.

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM