Vendas do Dia das Mães caem 46%, aponta Acil

Quase 65% dos empresários e gestores entrevistados avaliaram negativamente as vendas do comércio, a pior pontuação em cinco anos; presidente da Acil diz que momento é de ajustar custos

Simoni Saris - Grupo Folha
Simoni Saris - Grupo Folha

Quase 37% dos varejistas apostam em recuperação apenas em 2021

A pesquisa da Acil levantou outros indicadores relacionados à atividade no comércio. Entre os entrevistados, 89,5% afirmaram que houve uma redução no faturamento no mês de abril deste ano na comparação com os resultados registrados em igual mês de 2019. A queda média foi de 57,3%, reflexo dos efeitos da pandemia da Covid-19.



Vendas do Dia das Mães caem 46%, aponta Acil
 



Sobre a expectativa de retorno do funcionamento do comércio nos horários habituais, 55,3% dos lojistas acreditam que isso só irá acontecer no segundo semestre deste ano. Quanto ao retorno das receitas a um patamar semelhante ao período anterior à pandemia, os comerciantes estão divididos: 34,2% deles acham que isso irá acontecer no segundo semestre deste ano e 36,8% afirmam que só no primeiro semestre de 2021.




“Para esse ano a gente não fala em crescimento nenhum. Mesmo que a poeira venha a baixar no Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal, não vai suprir a defasagem dos últimos 50, 60 dias”, disse o presidente do Sincoval, Ovhanes Gava. “E não sei se no ano que vem a gente consegue retomar. Os noticiários já falam em uma segunda onda da Covid-19 e, se isso se concretizar, podemos trabalhar com números negativos mais uma vez. Tememos pelo pior.”

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo