Depois de ter declarado esta semana, em Belo Horizonte, que se comprasse o Banestado, o Unibanco poderia desistir da compra do Banespa, o presidente do banco Joaquim Francisco de Castro Neto recuou. Ele disse ontem, em Curitiba, que o Unibanco tem o ‘‘mesmo interesse’’ na aquisição dos dois bancos estaduais. Para garantir o fôlego da dupla operação, o Unibanco contará com a ajuda da instituição financeira portuguesa Caixa Geral de Depósitos (CGD). O banco de Portugal repassou ao Unibanco o Banco Bandeirante em troca de uma participação acionária de 12%. A operação custou para o Unibanco R$ 1,043 bilhão em ações.
Castro disse que há um grande interesse no Banestado. Mas preferiu não tecer muitos comentários sobre a estratégia que utilizará no leilão, marcado para 17 deste mês, na Bolsa de Valores do Paraná. ‘‘São boas ofertas e por isso nosso empenho é igual para o Banestado e Banespa’’, afirmou.
Na quarta-feira quando falou com jornalistas em Belo Horizonte, o presidente do Unibanco admitiu que o banco havia perdido um pouco o interesse pelo Banespa devido a inúmeras ações judiciais. Ele disse ainda que teria de se fazer uma avaliação minuciosa sobre a capacidade de adquirir mais dois bancos, pois o Unibanco recém comprou o Bandeirante e poderia ficar sem fôlego.
Joaquim Francisco de Castro ressaltou que a estratégia de atuação do Unibanco não irá se alterar devido à compra do Bandeirante. Segundo Castro, as duas instituições têm o estilo de trabalhar voltados a um mercado segmentado. Entre os serviços que serão colocados no Bandeirante está a Internet grátis aos clientes.
O Unibanco tem 32 agências no Paraná e agora recebe mais 15 com a marca Bandeirante. Os dois bancos têm ainda 50 postos de atendimento, sendo que cinco serão transformadas em agências. ‘‘Faremos fusões das agências que estão muito próximas, mas isso não representará demissões, pois os funcionários serão aproveitados nas novas agências’’, afirmou Castro. O nome Bandeirante deverá ser substituído pelo Unibanco até abril do próximo ano.
Com um patrimônio líquido de R$ 5,2 bilhões, o Unibanco está hoje em terceiro lugar no ranking de bancos privados. Em ativos o banco aumentará de R$ 40 bilhões para R$ 48 bilhões com a incorporação do Bandeirante. Já o faturamento saltará de R$ 744 milhões para R$ 1 bilhão. (C.M.)