Num prazo de dois anos, o Paraná começará a produzir energia a partir de uma termelétrica a gás. A construção da usina em Araucária começou, oficialmente, ontem com o lançamento da pedra fundamental feita pelo ministro de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, e pelo governador Jaime Lerner. A termelétrica receberá um investimento de US$ 320 milhões, sem contar o adicional de US$ 10 milhões para adequá-la aos padrões internacionais de exigência ambiental.
Segundo Edilson Novak, representante da Copel no UEG Araucária – empresa criada para montar a termelétrica – a tecnologia utilizada na usina supera os níveis mínimos exigidos pelos bancos e instituições internacionais que liberam financiamentos. ‘‘Os bancos só nos financiam se comprovarmos que estamos dentros dos padrões mínimos de poluição’’, afirmou Novak. Ele diz que o sistema a ser utilizado reduz em até 50% os níveis de poluição em relação ao uso de um equipamento convencional.
Ele lembra que, em 10 anos, as exigências ambientais devem aumentar e por isso a UEG fez uma usina ‘‘Low NOX’’, isto é, com níveis mais baixos de emissão de gases derivados de produtos da combustão de nitrogênio. Desta maneira não será necessário fazer adaptações a médio prazo. Das termelétricas, a movida a gás é a que menos polui. As mais poluentes são as de carvão.
A energia gerada pela termelétrica abastecerá com prioridade os municípios da Região Metropolitana de Curitiba. A usina tem potencial de 480 MW e vai operar em ciclo combinado. Duas turbinas vão gerar energia a partir do gás e uma turbina utilizará o vapor produzido pelas duas primeiras. Cada uma tem potencial para 160 MW.
AumentoA Agência Nacional de Energia Elétrica homologou ontem o reajuste de quatro geradoras (Duke, Tietê, Cesp e Emae). As empresas fornecem energia para a Bandeirante Energia, distribuidora que atende a 2 milhões de consumidores em 55 municípios na Baixada Santista, Alto Tietê, Vale do Paraíba e região oeste do Estado de São Paulo. Os reajustes para as geradoras que vendem energia para a Bandeirante variam de 3,26% a 3,38%. Segundo cálculos da Aneel, aproximadamente 40% do reajuste das geradoras é repassado para os clientes pelas distribuidoras na data do aumento. O reajuste da Bandeirante acontece no próximo dia 23.