Carmem Murara
De Curitiba
A Intelig – operadora credenciada a fazer as ligações internacionais e nacionais – entra em operação em todo o País no próximo domingo, sentindo o que representa a concorrência no setor da telefonia. A Tele Centro Sul anunciou ontem que dará descontos que variam entre 0,5% até 92,3% para as ligações interurbanas, conforme a distância e o horário da chamada. Quanto mais próximo for o interurbano, maior será o desconto para quem escolher o DDD número 14. A estratégia da operadora telefônica, que no Paraná tem a Telepar como subsidiária, representará uma redução de R$ 110 milhões no faturamento num prazo de um ano.
A diretoria da empresa garantiu que diminuir as receitas vale a pena para vencer a concorrência e atrair a preferência do usuário. O diretor comercial da regional Sul da Tele Centro Sul, Francisco Monteiro Filho, nega que as companhias telefônicas estejam com margens excessivas de lucro a ponto de ser possível reduzi-las em 90%. ‘‘Nós ganhamos muito em produtividade e por isso dá para cobrar menos’’, afirmou. Desde que foi privatizada, a Telepar passa por um processo de reestruturação e demissão de funcionários.
Para mostrar a diferença de preços que serão cobrados entre as operadoras dá para tomar os seguintes exemplos: uma ligação interurbana de Curitiba para Foz do Iguaçu às 8 horas é 18,59% mais barata pela Tele Centro Sul em relação à Intelig e 22,5% em relação à Embratel. Um interurbano entre Curitiba e Florianópolis, tem uma diferença de 56% pela Tele Centro Sul. Nas distâncias mais longas, o desconto cai. Quem telefonar de Curitiba para Brasília às 8 horas da manhã tem redução de 44% e se for a partir das 9 horas, de 0,5%.
O diretor comercial ressaltou que as grandes corporações ficaram de fora dos descontos. ‘‘Elas já têm preços especiais e pacotes’’, justificou Monteiro. Ele disse, no entanto, que as pequenas e médias empresas serão beneficiadas e será mantido, inclusive, o desconto de 5%. Estas empresas estão enquadradas no programa Tele Economia Imediata.
Ontem o presidente da Tele Centro Sul, Henrique Neves, afirmou que continua interessado em adquirir o controle da Companhia Riograndense de
Telecomunicações (CRT-fixa). A visita de um grupo de executivos da TCS ao data-room da CRT foi concluída no sábado. ‘‘Continuamos avaliando’’, disse. Neves admitiu que a Sercomtel, de Londrina, e a CTBC Telecom, do Grupo Algar, podem ser rivais porque têm o direito de participar da disputa pela CRT, de acordo com as regras do Plano de Outorgas das Telecomunicações.