Agência Estado
De Brasília
Simulações feitas pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco Sindical) mostram que o congelamento da tabela e das deduções do Imposto de Renda de Pessoas Físicas (IRPF) aumentam a carga tributária do contribuinte individual em até 393%. Segundo o Unafisco, esse é o caso dos contribuintes assalariados que ganham até R$ 2 mil. São esses contribuintes os mais prejudicados pela não-correção da tabela, alerta o sindicato.
Pelos cálculos do Unafisco, o contribuinte com renda mensal de R$ 2 mil deveria recolher R$ 179,31 por ano de Imposto de Renda, se a tabela tivesse sido corrigida em 28,4%, que é a variação da Ufir entre janeiro de 1996 e dezembro de 1999. Esse mesmo contribuinte, no entanto, está pagando hoje à Receita Federal R$ 876,00 por ano. Já um contribuinte com renda mensal de R$ 8 mil pagaria hoje R$ 19.726,00, mas com a correção da tabela poderia estar recolhendo R$ 18.065,47. As simulações mostram que o impacto do congelamento da tabela no imposto devido do contribuinte mais rico é menor do que no mais pobre.
Pelos cálculos do Unafisco, o pequeno contribuinte é o mais prejudicado pela não-correção da tabela e deduções. A partir da primeira semana de abril, o Unafisco vai colocar à disposição na Internet um programa que permitirá ao contribuinte saber quanto poderia estar pagando a menos de imposto, se a tabela tivesse sido corrigida.