Da Redação
O aparecimento de doença no rebanho paraguaio que tem os mesmos sintomas da febre aftosa preocupa os produtores do Paraná porque ameaça todo um trabalho preventivo que culminou com o reconhecimento de que o Estado é considerado livre de aftosa ‘‘com vacinação’’.
Ontem, o presidente do Conselho de Sanidade Agropecuária (CSA) e Sindicato Rural, Edison Mazei Ponti, falou com autoridades federais e estaduais apoiando as medidas preventivas (proibição da entrada de animais e carnes do Paraguai) e solicitando que tais medidas sejam mantidas até que se tenha um diagnóstico definitivo da doença. ‘‘A proibição da entrada de animais é condição imprescindível’’, disse Ponti.
Sob controle Através de Internet, de telefonema à criadores, imprensa e órgãos de governo do Paraguai, o CSA reuniu informações sobre a situação no Paraguai. Ponti citou um fazendeiro, sr Pablino Iriarte, do Distrito de Simon Bolívar, Departamento de Canindeyú, cujo plantel de bovinos apresenta características semelhantes aos sintomas da aftosa. As autoridades paraguaias negam a existência de aftosa e afirmam tratar-se de uma doença vesicular, Rinotraqueitis.
Ponti também citou um comunicado do médico veterinário Alexandre A. Jacewicz, da Faep, que mostrou estar atento pois tomou todas as providências. O comunicado afirma que pecuaristas de colônias menonitas do Departamento de Canindeyu (90 km da fronteira seca com o Mato Grosso do Sul e com o Rio Paraná), estavam vacinando os bovinos contra a febre aftosa, mesmo contrariando a determinação do Senacsa (a vacinação foi suspensa a partir de agosto, visando, com isso, obter brevemente o status de país livre sem vacinação) devido ao aparecimento de uma doença vesicular na região. A primeira providência do Ministério da Agricultura do Brasil foi proibir a entrada de animais suscetíveis provenientes daquele País, seguido de um pedido de informações sobre o diagnóstico real. O Senacsa solicitou a presença de epidemiologistas do Centro Pan-americano de Febre Aftosa para acompanhar os trabalhos de identificação da doença.