Rubens Burigo Neto
De Curitiba
O tão temido ‘‘bug do milênio’’ não causou qualquer problema nos sistemas de informática do governo paranaense. Até o final da tarde de ontem, primeiro dia útil de funcionamento dos sistemas, a Companhia de Informática do Paraná (Celepar) só havia detectado ‘‘problemas internos irrelevantes para efeitos externos’’, segundo o diretor técnico Danilo Scalet.
Na sexta-feira, véspera do Ano Novo, quarenta técnicos ficaram de plantão em Curitiba, para evitar qualquer problema. No sábado, 1º de janeiro, 120 analistas de sistema passaram o dia fazendo testes em todas as redes de informática das secretarias, autarquias e empresas do governo interligas à Celepar. ‘‘A partir de agora vamos intensificar as análises do que chamamos de erros invisíveis, como pequenas alterações de qualquer banco de dados’’, informou Scalet.
O diretor técnico da Celepar disse que nos últimos dois anos o governo do Paraná investiu R$ 4 milhões para preparar, converter e adaptar as redes de informática para o ‘‘bug’’. ‘‘Valeu a pena porque se isto não tivesse sido feito o Estado iria parar’’, garantiu Scalet. Em novembro e dezembro passados, a Celepar fez simulações com todos os sistemas já prevendo as datas de 29 de fevereiro (o ano 2000 é bissexto) e 30 de dezembro. ‘‘Nos testes não aconteceu nenhum problema, mas alguns programas ainda podem fazer o cálculo errado da contagem dos dias destes meses e, por isso, o cuidado será redobrado também nestas datas’’, salientou.
Nos supercomputadores da Celepar estão armazenados os cadastros dos contribuintes da Receita Estadual, registros civis, do sistema penitenciário, das matrículas escolares da rede estadual, do protocolo geral do Estado e os processos judiciais da Procuradoria Geral, além de milhares de outras informações. Se observarem qualquer falha os usuários dos sistemas do governo paranaense devem comunicar imediatamente a Celepar – telefone (XXX 41) 350 5007, com atendimento 24 horas.