Agência Estado
De São Paulo
O presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou ontem, em entrevista ao ‘‘Bom Dia Brasil’’, da Rede Globo que considera ‘‘ótimo’’ o intervalo de R$ 1,75 e R$ 1,85 para o dólar no Brasil. É a primeira vez, desde a mudança no regime cambial no início de 99, que alguém do governo estipula um intervalo para as oscilações do dólar. ‘‘Se começar a flutuar muito é ruim, porque as expectativas não se organizam e logo vem os boateiros, o mundo moderno vive de boatos’’, disse.
O câmbio, que vinha registrando uma queda no valor de dólar e certa estabilidade, apresentou ontem variações. Perto das 17h , o dólar já estava sendo cotado a R$ 1,8590. Na segunda-feira, o dólar fechou em R$ 1,8210. Acompanhando a tendência da bolsa de valores de Nova York - que está em queda desde segunda - as bolsas brasileiras mantiveram-se em queda ontem.
Na entrevista, FHC afirmou não haver ‘‘razão nenhuma para imaginar que o dólar vá subir mais ou menos’’, sobretudo se houver saldo na balança comercial. ‘‘O importante é não haver muita flutuação: R$ 1,80, R$ 1,75, R$ 1,85 aí tudo bem’’. Ao comentar que o mundo de hoje vive de boatos o presidente referiu-se ao fato de a bolsa de Nova York ter despencado segunda-feira em razão de boatos. ‘‘Achei extraordinário: a bolsa de NY despencou porque, como não houve o bug, então o FED poderá mexer nos juros.’