Assine e navegue sem anúncios [+]

Santander compra Banespa por R$ 7 bi


Agência Folha 
Do Rio
Agência Folha Do Rio

O banco espanhol Santander pagou ontem o maior valor em reais já gasto em uma privatização no Brasil, adquirindo o controle acionário do Banespa – cerca de 60% do capital votante do banco – por R$ 7,050 bilhões. O ágio pago foi de 281,02% sobre o preço mínimo de R$ 1,85 bilhão fixado pelo BC (Banco Central) para a parcela leiloada.
Convertido em dólares ao preço de R$ 1,92 por dólar, o preço do Banespa foi de US$ 3,671 bilhões, o segundo maior da história das privatizações brasileiras, perdendo para os US$ 4,967 bilhões (R$ 5,783 bilhões, em reais da época) pagos pela Telefonica de Espana pela Telesp fixa, em julho de 1998. O presidente do BC, Armínio Fraga, disse que o dinheiro arrecadado com a venda do banco paulista será integralmente utilizado para abater a dívida pública brasileira. Ele afirmou também que o governo seguirá com as privatizações de bancos estaduais e que, nos próximos meses, o cronograma será divulgado.
Fraga chegou à Bolsa do Rio, local do leilão, às 9h e foi a maior autoridade do governo brasileiro presente ao evento. O leilão durou apenas 13 minutos. O leiloeiro Alexandre Runte abriu os trabalhos às 09h59 e às 10h12 bateu o martelo declarando vencedor o banco Santander. Com a compra do Banespa, o banco espanhol passa de quinto a terceiro maior banco privado do País, com R$ 56,2 bilhões em ativos, tomando o lugar do Unibanco. Os primeiros seguem sendo Bradesco e Itaú, nessa ordem.
Além do Santander, apresentaram propostas os nacionais Unibanco e Bradesco, causando decepção entre os presentes ao pregão da Bolsa do Rio a diferença entre as duas propostas e a do Santander. O Unibanco ofereceu R$ 2,1 bilhões, com ágio de 13,50%, e o Bradesco, R$ 1,86 bilhão, com ágio de apenas 0,53%. O Itaú, outro favorito, nem sequer ofereceu proposta.
‘‘Nós não demos um preço baixo, o preço deles é que foi alto’’, disse o diretor de Investimentos do Unibanco, Cláudio Coracini, pouco depois do leilão. Segundo Coracini, a oferta de um valor que concorresse com a proposta do banco espanhol ‘‘prejudicaria o acionista’’ do Unibanco.
Para o presidente do Santander no Brasil, Gabriel Jaramillo, o preço pago pelo banco não foi alto. ‘‘Estamos muito contentes por termos pago esse preço, independentemente das ofertas mais baixas feitas pelos concorrentes.’’ Foram leiloadas ontem, em bloco único, 11.232.000.000 ações do Banespa, representando cerca de 60% do seu capital votante e cerca de 30% do seu capital total.
Sem protestos que chegassem a incomodar o clima dentro da Bolsa do Rio, a tensão no leilão ficou por conta da expectativa sobre quem entraria na disputa. Cerca de meia hora antes do começo do leilão, Venílton Tadini, diretor do banco Fator – responsável pela avaliação e modelagem de venda do Banespa – respirava aliviado. Ele havia apurado que pelo menos o Bradesco, o Unibanco e o Santander participariam do leilão.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo