Agência Folha
Do Rio
Os trabalhadores da indústria brasileira tiveram, no ano passado, a maior queda real nos seus ganhos desde a implantação do Plano Real (em 1994), segundo divulgou ontem o IBGE. A folha de pagamento real por trabalhador – que contabiliza salários, abonos e todo tipo de gratificação – caiu 4%, depois de altas sucessivas interrompidas em 1998, quando registrou a primeira queda (-0,3%).
‘‘É como estivesse se esgotando o processo de demissão de funcionários de baixos salários, o que elevava os ganhos médios,’’ disse o economista Paulo Gonzaga, do Departamento de Indústria do IBGE. Outro dado que mostra o estrago feito pela crise econômica de 1999 nos salários da indústria é o total da folha de pagamento pago pelo setor: -11% no ano passado. Também foi a maior queda dos últimos cinco anos, de acordo com o IBGE.
‘‘A folha de pagamento ficou menor não só porque há menos empregados como pela ação corrosiva da inflação nos ganhos de quem ficou,’’ explicou Gonzaga. Segundo o economista, a produção industrial não cresceu o suficiente para compensar os ganhos de produtividade. ‘‘Desde 89 que o emprego industrial não cresce.’’