Rio de Janeiro - A safra brasileira de grãos deve chegar a 159,7 milhões de toneladas este ano, 6,8% superior à safra recorde de 2010 (149,6 milhões de toneladas). A projeção de outubro supera em 0,2% a de setembro. É o que prevê a décima estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A área a ser colhida em 2011, de 48,6 milhões de hectares, apresenta acréscimo de 4,6% comparado a 2010. O arroz, o milho e a soja, que são as três principais culturas (representam 90,6% da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas) respondem por 82,4% da área a ser colhida com variações de 1,7%, 3,5% e 3,2%, respectivamente. No que se refere à produção, mostram, nessa ordem, acréscimos de 19%, 0,6% e 9,2%.
O IBGE também realizou, em outubro, o primeiro prognóstico de área e produção para a safra de 2012, estimada em 157,5 milhões de toneladas, 1,4% inferior à de 2011. Porém, a área ser colhida (49,5 milhões de hectares) cresce 1,7%.
O Sul do País permanece em primeiro lugar entre as regiões que mais produzem (67,1 milhões de toneladas), seguido pelo Centro-Oeste (56,0 milhões de toneladas), Sudeste (17,4 milhões de toneladas), Nordeste (14,9 milhões de toneladas) e o Norte (4,3 milhões de toneladas). Na comparação com 2010, houve incremento em todas as regiões: Norte, 7,8%; Nordeste, 26,2%; Sudeste, 1,9%; Sul, 4,6%; e Centro-Oeste, 6,7%.
O Paraná lidera a produção nacional de grãos, com participação de 19,7%, seguido pelo Mato Grosso, com 19,5%, e o Rio Grande do Sul, com 18,3%. Dentre os 25 produtos selecionados, 16 apresentam variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior, com destaque para o algodão herbáceo em caroço com variação de 72,6%.
Conab
Já a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aponta para um crescimento da área plantada no Brasil da safra 2011/2012 entre 1,1% e 3% em relação ao ano passado, quando se plantou 49,9 milhões de hectares. A informação é da segunda pesquisa de intenção de plantio feita pela Conab, que foi divulgada ontem pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A produção, de acordo com o levantamento, deve alcançar entre 157,2 e 160,5 milhões de toneladas, entre 3,5% e 1,5% menos do que a safra do ano passado. Esses números, entretanto, podem melhorar, dependendo das condições climáticas que se apresentarão daqui para a frente. O aumento na área de plantio está relacionado principalmente ao milho 1 safra, que deve ter um crescimento entre 7,8% e 10,3%, e a soja que pode chegar a um incremento entre 0,9% e 3%.

Imagem ilustrativa da imagem Safra de 2011 será 6,8% maior do que a de 2010, prevê IBGE