Em reunião com lideranças de Londrina no Palácio Iguaçu, o governador  se comprometeu a discutir com a sociedade o estudo técnico antes de consolidar a fusão
Em reunião com lideranças de Londrina no Palácio Iguaçu, o governador se comprometeu a discutir com a sociedade o estudo técnico antes de consolidar a fusão | Foto: Jaelson Lucas/ANPr


Curitiba - O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), confirmou nesta terça-feira (8) que vai a unificar o Iapar (Instituto Agronômico do Paraná) com outras autarquias da agricultura do Estado, mas disse que não está sendo cogitada mudança de sede para Curitiba. Ele também se mostrou aberto a avaliar a proposta de sediar em Londrina o comando da instituição que abarcará o Iapar, o Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural), a Codapar (Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná) e o CPRA (Centro Paranaense de Referência em Agroecologia), segundo relato do deputado estadual Tercílio Turini (PPS).

Em reunião com lideranças de Londrina no Palácio Iguaçu, o governador se comprometeu a discutir com a sociedade o estudo técnico que está sendo elaborado sobre a reestruturação antes de consolidar a fusão.Ratinho também procurou assegurar que não está sendo cogitada a extinção do instituto, e que a proposta de unificação de autarquias do Estado se estende a todas as áreas.

"Chegou a sair um boato na cidade de que seria extinto o Iapar. Nunca nem se cogitou isso, até porque o Iapar é um órgão muito importante, tem centenas de cientistas e pesquisadores, é um órgão que ajuda muito o Estado há muitos anos", disse, em entrevista coletiva antes da segunda reunião do secretariado, realizada no fim da tarde.

"O que nós estamos fazendo é um estudo. Não se trata só da área de agricultura, mas de todas as áreas, que é a unificação de algumas autarquias, para empoderar essas autarquias, mas mantendo suas sedes, seus pesquisadores", explicou o governador, que disse que a ideia de extinguir ou tirar o Iapar de Londrina "está fora de cogitação".
"O que nós vamos fazer é unificar algumas autarquias, entre elas o Iapar. Mas isso ainda está em fase de estudo", disse.

Na reunião com a comitiva de Londrina, Ratinho disse que preservaria os principais ativos do Iapar, e sustentou que o novo modelo fortalecerá as autarquias. "Isso vai fortalecer ainda mais a cidade de Londrina, porque queremos aumentar o investimento em pesquisa", disse, em vídeo gravado após o encontro. "O que queremos diminuir é o custo fixo dessas autarquias. Mas os investimentos em ciência e em pesquisa é algo que queremos fazer e, claro, todos os técnicos do Iapar serão fundamentais para continuar todo esse projeto."

O governo considerou que houve "despropósito" e "má intenção" na repercussão de boatos sobre a possibilidade da extinção da autarquia.
Perguntado sobre possíveis implicações de o Iapar perder seu status de instituição autônoma, o secretário de Comunicação Social, Hudson José, disse que as questões técnicas ainda estão sendo estudadas, e que qualquer informação a respeito de modelos é especulativa, já que ainda não existe um estudo definitivo.

"Não há nenhuma divulgação oficial do governo com relação a nenhum modelo proposto, seja sobre setores ou áreas de pesquisa", disse. "O governo está avançando no estudo. Assim que estiver em fase avançada, ele será apresentado e discutido com a comunidade de Londrina e as outras partes interessadas no processo no Estado", afirmou.

OTIMIZAÇÃO
Fontes da FOLHA presentes na reunião relataram que Ratinho Junior reforçou que a fusão tem o objetivo de otimizar a estrutura administrativa das autarquias, unificando áreas como recursos humanos e diretorias, mas que o desenho ainda não está claro.

O presidente do Conselho de Administração da SRP (Sociedade Rural do Paraná), Afrânio Eduardo Rossi Brandão, avaliou que a questão da fusão ficou em aberto, mas considerou que houve avanços no diálogo com o governo. "A sociedade de Londrina conseguiu demonstrar a ele que quer ser ouvida e que não aceita ficar de fora das decisões", disse.

O deputado estadual Tiago Amaral (PSB) fez uma avaliação parecida, considerando que as sinalizações do governo em relação à mudança ainda são "embrionárias". "O governador ainda não bateu o martelo e não deixou claro como [a fusão] vai ser feita, que caminho será tomado. O que ficou muito patente é que, a partir de agora, a relação entre Londrina e o Estado passará pela sociedade londrinense. Acho que essa foi a grande conquista", disse.

Na mesma linha, o deputado estadual Tercilio Turini (PPS) avaliou que ainda são poucos os detalhes sobre a mudança, mas considera que o governo se comprometeu debater antes de tomar qualquer iniciativa.
"A discussão de algo tão importante quanto o Iapar não pode ficar entre quatro paredes. Tem de ser aberta para o debate público. Foi o que nós fizemos, e acho que avançamos bastante", contou.

Também participaram da reunião o presidente da SRP, Antônio Sampaio; o presidente da Sercomtel, Cláudio Tedeschi; o presidente da Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Fernando Maurício de Moraes; o diretor-superintendente da Folha de Londrina, José Nicolás Mejía; e o deputado estadual Cobra Repórter.