Queda reduz o
custo da dívida
do setor público
Uma queda de 0,25 ponto percentual na taxa de juros básica da economia significa uma economia anual de R$ 693,5 milhões no pagamento da dívida do setor público, de acordo com estimativa do Banco Central com base em dados de janeiro. O total equivale a mais de cinco meses do custo mensal do aumento do salário mínimo de R$ 136 para R$ 151. De acordo com o governo, o aumento do mínimo vai custar R$ 1,5 bilhão em 12 meses.
De acordo com o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, uma redução de um ponto percentual na taxa básica tem o efeito de reduzir o pagamento de juros em R$ 2,77 bilhões anuais. A dívida do setor público (União, Estados e municípios) foi de R$ 523,2 bilhões em janeiro. O governo tem uma economia maior, porém, com a queda da cotação do dólar em reais. Em dezembro, a cotação média foi de R$ 1,84. Em março, essa média caiu para R$ 1,74 – uma queda de 5,43%.
Segundo Lopes, cada 1% de queda na taxa de câmbio traz uma redução de 0,22% do PIB (Produto Interno Bruto, ou o conjunto das riquezas produzidas pelo país) na dívida consolidada, ou R$ 2,4 bilhões por ano. Com o câmbio flutuante, porém, há mais dificuldade na manutenção da queda ao longo dos meses.