Procon de Londrina apura preço abusivo em mercados

Mais de 200 consumidores reclamaram do aumento de itens da cesta básica e agora comerciantes terão dois dias para dar explicações

Pedro Moraes - Grupo Folha
Pedro Moraes - Grupo Folha

O aumento do preço de itens básicos da cesta básica fez acender um alerta não só no consumidor, como no Procon-LD (Núcleo Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Londrina). A corrida aos mercados e a instabilidade causada pela pandemia do covid-19 levou a população a reclamar e, na manhã desta terça-feira (24) o órgão pediu a 14 redes supermercados os devidos esclarecimentos. Cerca de 200 denúncias foram registradas pelos Londrinenses.


.
. | Pixabay
 


Os comerciantes agora terão um prazo para explicar ao Procon-LD qual prática foi tomada, conforme explica Gustavo Richa, diretor-executivo do órgão. “As maiores reclamações estão relacionadas ao preço do leite, ovos, arroz e feijão, mas verificamos todos os itens da cesta básica para ficar mais completo. Estes estabelecimentos terão 48 horas para apresentar suas justificativas, por meio de notas ficais. Caso sejam constatadas irregularidades na precificação, tomaremos as providências cabíveis, de acordo com a legislação vigente”, disse.




Em meio ao fechamento do comércio e das restrições para evitar aglomerações, o Procon-LD não está fazendo atendimentos presenciais no momento, contudo, os consumidores podem denunciar por telefone ou pela internet, pelo 151, pelo e-mail [email protected], ou até mesmo por meio do celular do próprio diretor-executivo no (43) 99914-3277. A instituição afirma que continuará fiscalizando uma possível prática de aumento abusivo. “Estamos atentos a isso e pedimos que a população continue fazendo denúncias, por meio de nossos canais”, concluiu Richa.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias