Presidente da SRP diz temer falta de insumos e peças para a agricultura


Mie Francine Chiba - Grupo Folha
Mie Francine Chiba - Grupo Folha

A agricultura não parou com o novo coronavírus, e as cidades continuam sendo abastecidas com os produtos agrícolas. No entanto, o presidente da Sociedade Rural do Paraná (SRP), Antônio Sampaio, diz temer problemas com o transporte e com a falta de insumos e de peças de maquinário no futuro, caso a indústria venha a parar.


“O campo continua produzindo. Não parou, não diminuiu ritmo. O que temos uma certa preocupação é com indústrias que fabricam peças e insumos, que continuem operando e distribuindo.”




Nesta quarta-feira (25), a SRB (Sociedade Rural Brasileira) encaminhou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a ministros de seu governo e a governadores uma carta com uma série de medidas que, na avaliação dos ruralistas, devem ser tomadas para evitar que o país enfrente desabastecimento durante a pandemia do novo coronavírus.


Assinada pela presidente da entidade, Teresa Vendramini, a carta pede que as autoridades priorizem manter em funcionamento a estrutura logística de rodovias e ferrovias, "permitindo a livre circulação de insumos, produtos agrícolas e trabalhadores rurais".


Na visão do presidente da SRP, é preciso manter a economia funcionando. “Se quebrar a economia, a consequência disso é muito pior que a doença. Temos que tomar cuidado para essa coisa não causar um desastre econômico. A economia também é vidas humanas, é gente também.”

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias