DIA DOS NAMORADOS -

Prefeitura prorroga decreto que autoriza funcionamento do comércio


Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

A Prefeitura de Londrina publicou na segunda-feira (25), no Jornal Oficial,  o decreto 617, que prorroga até o dia 1º de junho os decretos municipais 541 e 558, que autorizam o funcionamento do comércio e de shoppings centers, mesmo com o aumento de casos de Covid-19 no município.


Prefeitura prorroga decreto que autoriza funcionamento do comércio
Vitor Struck
 


De acordo com o secretário de Governo, Juarez Tridapali, a decisão foi baseada na análise da administração e do Coesp (Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública). “A prorrogação atende as mesmas condições dos decretos anteriores”, destacou. Segundo ele, esses decretos só replicaram as regras estabelecidas pelo Coesp. “Não mudou nada.”




Ele afirmou que a prorrogação será até o dia 1º de junho justamente para que o quadro de evolução da Covid-19 seja reavaliado após uma semana, diante da possibilidade de aumento do número de casos. 


A reportagem procurou o Secretário Municipal de Saúde, Felippe Machado, que estava em uma reunião e não pôde atender para repercutir o novo decreto.


O presidente da Acil, Fernando Moraes, afirmou que o prazo de prorrogação por mais uma semana dos decretos anteriores é justamente para avaliar a evolução do Covid-19 na cidade. “Como o quadro muda muito rapidamente acho que esse decreto semanal é para isso. A gente esperava o aumento de casos por causa dos testes feitos a mais, mas o que a gente está muito atento é na questão da ocupação de leitos. Estamos pleiteando mais celeridade na entrega do novos leitos do HU, que vai dar conforto e garantir um planejamento melhor no tratamento dos pacientes”, destacou.


Ele garante que o comércio em si não tem aglomeração, inclusive nos shoppings. “Também estamos pedindo a ampliação do horário para o dia dos namorados para o quinto dia útil e no sábado (6), que são os dias que dão mais aglomeração e mais movimento no comércio. E no dia 12 gostaria do horário fosse das 9h às 18 horas, que é o horário normal do comércio. VEja bem, não é nem o horário estendido até de noite, já que com o frio sabemos que não dá movimento. Solicitamos esse horário mais amplo em relação ao decreto atual para evitar aglomerações. É uma solicitação técnica. Neste ano o dia 11 é feriado e com esse dia fechado vai dar um fluxo maior nos outros dias.  Com o horário mais amplo no dia do pagamento e no dia dos namorados o consumidor evitará a aglomeração nas lojas”, pleiteou.


“Solicitamos o sábado também porque desde o início o Coesp colocou o sábado como dia de passeio, mas como estamos trabalhando com horário muito reduzido durante a semana a pessoa está sem tempo no horário de almoço para ir ao comércio”, argumentou. Segundo ele, os comerciantes permanecerão obedecendo os protocolos de segurança para evitar a contaminação. “Vamos continuar usando máscaras, álcool em gel e pedimos para que todos sejam responsáveis”, afirmou.


A promotora de Justiça Susana Feitosa de Lacerda ressaltou que as reuniões do Coesp têm acontecido todas as quintas-feiras. “Só nesse momento o quadro epidemiológico é apresentado. O prefeito tomou a decisão antes de ter conhecimento do quadro epidemiológico após um surto em um grande hospital do município e hoje (terça-feira-26) outro hospital está com o pronto socorro fechado em razão da contaminação pela doença”, declarou.


Segundo ela, a situação do município é desfavorável, inclusive a situação hospitalar. “Apesar do decreto estadual, o município poderia ter adotado a postura de não abrir igrejas, que foi a postura adotada pela arquidiocese de Londrina”, destacou.


Ela ressalta que a situação de leitos do município está muito apertada. “Da forma que o boletim epidemiológico é publicizado à população fica difícil da população entender que nós temos um grande número de casos suspeitos internados, porque eles não aparecem no boletim e não há uma separação de leitos públicos e leitos privados. Nós estamos com uma lotação de leitos públicos não Covid-19, ou seja, os leitos destinados para casos de trauma cardiopatia, AVC e neurologia. Não temos leitos SUS não Covid -19”, alertou.


“Quando a prefeitura publica o boletim com o panorama geral parece que temos folga grande, mas não podemos contar com os leitos privados”, destacou. Confrontada com a afirmação de que a prefeitura teria contratado leitos privados, ela afirmou que pediu esse contrato para a prefeitura, mas até agora ele não foi enviado ao Ministério Público.


Segundo o boletim epidemiológico da Sesa (Secretaria de Estado de Saúde), LOndrina está hoje com 317 casos confirmados, 104 recuperados e 20 mortes. O município está com 59 casos sob investigação laboratorial. 



Dos 4582 casos de síndrome respiratória aguda grave registrados no Paraná, 669 foram identificados como Covid-19 (14,6%), resultando em 130 óbitos (12,5%). Desse total 3062 foram por SRAG não especificada (66,8%) resultando em 843 óbitos (81%), o que significa que esses números relacionados à Covid-19 podem ser bem maiores.   Ainda existem 834 ocorrências em investigação no Estado.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo